PUBLICIDADE

O que NÃO fazer ao visitar um recém-nascido

Especialista listou sete cuidados para quem quer conhecer um bebê no seu primeiro mês

A chegada de um bebê causa comoção na família. Há quem venha de longe só para conhecer recém-nascidos. Apesar da fofura que nos faz querer pegar no colo, apertar e beijar, as crianças que acabaram de nascer ainda não têm um sistema imunológico tão preparado. E isso pede cuidados básicos por todos que forem visitar, não importa a proximidade ou o grau de parentesco.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Durante os últimos três meses de gestação, a mãe transfere pela placenta diversos anticorpos ao bebê. Eles funcionam como soldados que já estão preparados para lutar contra algumas doenças mais básicas do mundo aqui fora. Por isso, os bebês prematuros nascem com o sistema imunológico mais frágil e requerem ainda mais cuidados.

Segundo Benjamin Roitman, pediatra e Diretor da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, geralmente se estimula que os bebês que estão internados na UTI neonatal recebam visitas dos pais. Como o ambiente pode predispor a doenças, os outros familiares e amigos têm um horário restrito.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Até para os bebês que nasceram no tempo ideal, é importante ter cautelas tanto na maternidade quanto após chegar em casa, quando as visitas tendem a aumentar. Veja sete comportamentos que você não pode ter ao conhecer um recém-nascido, de acordo com o especialista:

1 - Ficar muito tempo na maternidade

O médico recomenda que as visitas à maternidade sejam de, no máximo, 15 minutos. Isso é importante sob dois aspectos: a saúde do bebê e o bem-estar da mãe. A criança que acabou de nascer é frágil do ponto de vista imunológico. Enquanto isso, a mãe que deu à luz está passando por um momento delicado, que geralmente envolve dor, dificuldade para caminhar e noites em claro.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

2 - Estar com as mãos sujas

Para conhecer um recém-nascido, é importante lavar bem as mãos para evitar que a criança se contagie com bactérias que os adultos trazem da rua. Ainda na maternidade, Benjamin recomenda que pegar a criança no colo não seja prática entre os visitantes.

3 - Visitar durante (e logo após) infecções virais

Se você está com o nariz escorrendo, tosse ou qualquer outro sintoma de infecção viral, não visite um recém-nascido. O recomendado é esperar uma semana após o desaparecimento dos sinais para entrar em contato com o bebê. A única exceção são os pais, que nunca devem ser separados do filho. Nesse caso, basta usar uma máscara descartável e lavar bem as mãos. Essas infecções nunca passam pelo leite materno.

4 - Passar de colo em colo

Com o passar dos dias, o bebê vai fortalecendo seu sistema imunológico, em um processo que é intenso até os dois anos. Por isso, já em casa, é comum que as visitas sintam mais liberdade para pegar a criança. De acordo com o pediatra, o bebê não deve ficar passando de colo em colo. O comportamento pode aumentar o número de infecções a que o bebê é exposto e, além disso, ocasiona estresse. "Agitar a criança durante o dia significa um sono agitado durante a noite", explica Benjamin. O ideal é que a criança fique em um cômodo diferente das visitas, onde elas entram apenas na hora de conhecê-la.

5 - Fumar logo antes de conhecer o bebê

De acordo com o médico, não é necessário impedir que um fumante visite o recém-nascido. Basta pedir que espere, no mínimo, 15 minutos após o último cigarro para entrar na casa do bebê. O tempo é necessário para que o cheiro de cigarro que ele carrega se atenue.

6 - Beijar o bebê

O beijo no rosto do bebê deve ser evitado, já que a saliva carrega muitas bactérias e a possibilidade de transmitir uma infecção aumenta. "Não é necessário reprimir o ato de carinho pela criança, só não exagerar e nem hiper-estimular", resume o pediatra.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

7 - Pegar nas mãos da criança sem lavar as próprias

As bactérias fazem parte da vida de um bebê desde que ele nasce, no parto, são passadas a ele através do leite materno e estão presentes até em sua pele. Por isso, os pequenos não são esterilizados. Segundo Benjamin, não há problema em tocar as mãozinhas do recém-nascido. Só é importante garantir que as suas estejam bem limpas, lavadas com bastante água e sabão.