Perda de memória

Visão Geral

O que é Perda de memória?

Todo mundo sofre com episódios de esquecimento – esses não são motivo para preocupação e tendem a aumentar com a idade. Contudo, há uma diferença entre perda de memória leve devido ao envelhecimento normal e a perda de memória progressiva ou extrema, devido a doenças tais como Alzheimer.

A perda de memória pode começar repentinamente ou aproximar-se lentamente. Ela pode afetar a sua capacidade de se lembrar de eventos recentes, eventos no passado ou ambos. Você pode esquecer um único evento do passado/presente ou muitos deles. Você pode ter dificuldade em aprender coisas novas ou fazer novas memórias. A perda de memória pode ser permanente ou temporária.

Marque uma consulta médica se a perda de memória está começando a afetar suas atividades diárias ou se for acompanhada de outros sintomas. Muitas causas de perda de memória são tratáveis quando diagnosticadas precocemente. Se não for diagnosticada e tratada, algumas doenças vão progredir e tornar o tratamento mais difícil.

A cada dia que passa muitos dos nossos neurônios morrem. Portanto, existe um processo de involução "natural" de nossa massa encefálica. Entretanto, cada neurônio que antes fazia 10 mil conexões, aos 50 ou 60 anos faz 100 mil conexões. Por isso, essa faixa etária pode dizer que atingiu seu ápice de funcionamento cognitivo. Logo, o conceito trata de "qualidade" das conexões nervosas e não "quantidade".

Outro ponto importante nesta discussão diz respeito ao fato de algumas pessoas apresentarem uma "perda mais rápida" de seus neurônios com a idade. Algumas vezes, isso pode significar o início de um processo neurodegenerativo fora do normal, que pode aumentar o risco para doenças como Alzheimer.

Memória: entenda o armazenamento de informações no cérebro

Causas

Medicamentos

Uma série de medicamentos pode interferir ou causar perda de memória. Possíveis culpados incluem:

  • Antidepressivos
  • Anti-histamínicos
  • Ansiolíticos
  • Relaxantes musculares
  • Tranquilizantes
  • Soníferos
  • Medicamentos para a dor prescritos após cirurgias.

Tabaco, álcool e drogas

O uso excessivo de álcool tem sido reconhecido como uma das causas de perda de memória. Além disso, fumar reduz a quantidade de oxigênio que chega ao cérebro. Estudos têm mostrado que pessoas que fumam têm mais dificuldade para associar rostos a nomes que os não-fumantes. O tabaco também favorece um processo de degeneração das células, que podem incluir àquelas do sistema nervoso.

Já as drogas recreativas ilícitas, como cocaína ou heroína, podem alterar quimicamente o cérebro, aumentando o risco de perna neurológica e, consequentemente, falhas na memória.

Privação do sono

Tanto a quantidade e a qualidade do sono são importantes para a memória. Dormir muito pouco ou acordar com frequência durante a noite pode levar à fadiga, o que interfere com a capacidade de consolidar e recuperar informações.

Depressão e estresse

A depressão pode dificultar a atenção e a concentração, o que pode afetar a memória. Estresse e ansiedade também podem ficar no caminho da concentração. Quando você está tenso e sua mente está superestimulada ou distraído, sua capacidade de lembrar pode sofrer. O estresse causado por um trauma emocional também pode levar a perda de memória.

Deficiência nutricional

Uma boa nutrição é importante para bom funcionamento do cérebro. As deficiências em vitamina B1 e B12 especificamente são mais responsáveis por afetar memória, uma vez que esses nutrientes atuam na composição dos neurônios.

Lesão na cabeça

Uma grave batida na cabeça – decorrente de um acidente de carro, por exemplo -pode prejudicar o cérebro e causar perda de memória de curto ou longo prazo. Nesse caso, a memória pode melhorar gradualmente ao longo do tempo.

AVC

Um acidente vascular cerebral ocorre quando o fornecimento de sangue ao cérebro é interrompido, devido ao bloqueio de um vaso sanguíneo para o cérebro ou o vazamento de um recipiente para o cérebro. O AVC muitas vezes causa perda de memória de curto prazo. Uma pessoa que tenha sofrido um acidente vascular cerebral pode ter memórias vívidas de eventos da infância, mas ser incapaz de recordar o que comeu no almoço.

Demência

A demência é o nome para uma perda progressiva da memória e outros aspectos do pensamento que são suficientemente graves para interferir nas funções diárias. Apesar de existirem muitas causas de demência - incluindo a doença dos vasos sanguíneos, o abuso de drogas ou álcool, ou outras causas de danos ao cérebro - o mais comum e familiar é a doença de Alzheimer. A doença de Alzheimer é caracterizada por uma perda progressiva de células cerebrais e de outras irregularidades do cérebro.

Outras causas

Outras possíveis causas de perda de memória incluem uma hipoatividade ou hiperatividade da tireoide e infecções como HIV, tuberculose e sífilis que afetam o cérebro.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Se você achar que a perda de memória está piorando ou o sintoma está interferindo com suas atividades diárias, agende uma consulta médica para determinar a causa e o melhor tratamento.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar as causas de perda de memória são:

  • Neurologista
  • Geriatra.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando a perda de memória começou? Quando você percebeu que ela se acentuou?
  • Você esquece os eventos recentes ou aqueles do passado?
  • É muito difícil para você prestar atenção em mais de uma atividade ao mesmo tempo?
  • Quais outros sintomas você experimentou recentemente?
  • Como é a sua rotina de sono?
  • Você passou por algum evento estressante nos últimos meses?
  • Você sofreu alguma lesão na cabeça recentemente?
  • Você faz uso de tabaco, álcool ou drogas recreativas?
  • Quais medicamentos e suplementos você toma?

O médico ou médica também fará um exame físico e fará perguntas para testar a capacidade mental. Dependendo dos resultados, uma avaliação mais aprofundada pode incluir exames de sangue e urina, testes de nervos e exames de imagem do cérebro, como a tomografia axial computadorizada (TAC) ou uma ressonância magnética (MRI).

Tratamento e Cuidados

Cuidados

O tratamento para a perda de memória depende da causa. Em muitos casos, pode ser reversível com o tratamento. Por exemplo, a perda de memória por medicamentos pode ser resolvida com uma mudança na medicação. Os suplementos nutricionais podem ser úteis contra a perda de memória causada por uma deficiência nutricional. E o tratamento da depressão pode ser útil para a memória quando a depressão é um fator. Em alguns casos - como na sequência de um AVC - a terapia pode ajudar as pessoas a se lembrar de como fazer determinadas tarefas, como caminhar ou amarrar os sapatos. Em outros, a memória pode melhorar ao longo do tempo.

Os tratamentos podem também ser específicos para as condições relacionadas com a perda de memória. Por exemplo, existem medicamentos para tratar problemas de memória relacionados com a doença de Alzheimer e medicamentos para baixar a pressão arterial podem reduzir o risco de mais danos ao cérebro causados por demência relacionada com a pressão arterial elevada.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Mayo Clinic
  • Academia Brasileira de Neurologia
  • American Academy of Neurology
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não

Mais sobre

carregando...
  • já ajudou pessoas