PUBLICIDADE

Divorciados têm mais risco de sofrer ataque cardíaco do que pessoas casadas

Estudo mostra que casais são mais encorajados a manter a forma e seguir prescrições médicas

Além de muitas vezes manifestarem a dor emocional pelo término da relação, pessoas divorciadas têm uma chance maior de ter ataque cardíaco. É o que aponta uma pesquisa realizada pelo Karolinska Institute, em Estocolomo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A pesquisa foi realizada com quase 30 mil sobreviventes de ataque cardíaco da Suécia, durante quatro anos. Além de monitorar os hábitos de saúde e situação sócio econômica, os pesquisadores também avaliaram o estado civil dos participantes.

Ao analisar os dados, os cientistas descobriram que os indivíduos divorciados apresentavam um risco 18% maior de ter um novo ataque cardíaco em comparação a pessoas casadas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os cientistas acreditam também que o casamento parece ser uma forma de proteção contra eventos recorrentes. Segundo os pesquisadores um possível razão para isso seria o fato de que as pessoas com um parceiro amoroso são mais encorajadas a manterem-se em forma, cumprir ordens médicas e tomar medicamentos.

Casamento pode ajudar a viver mais?

Essa não é a primeira vez que a ciência estuda a relação entre casamento e saúde. Uma pesquisa realizada pelo Centro Médico da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, descobriu que o casamento ou ter um relacionamento afetivo pode contribuir para a longevidade.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os dados utilizados pelos autores foram obtidos a partir do Estudo do Coração de Ex-alunos da Universidade da Carolina do Norte (UNCAHS, sigla em inglês). Ao todo, os pesquisadores avaliaram 4.802 pessoas, todos na faixa dos 70 anos. Após analisarem a relação entre taxa de mortalidade e estado civil dos participantes, os autores concluíram que adultos solteiros apresentavam um risco 2,3 vezes maior de morrer precocemente. Essa chance foi 1,6 maior entre pessoas solteiras, mas que já tinham sido casadas alguma vez na vida.

De acordo com os cientistas, os resultados sugerem que a relação conjugal é cada vez mais importante como forma de apoio emocional e social, impactando na expectativa de vida. Eles afirmam que pessoas casadas podem procurar o apoio do companheiro para a adoção de hábitos mais saudáveis, como dieta e prática de exercícios.

Só os casados são saudáveis?

Se você está solteiro e está se sentindo em desvantagem, não há razão para se preocupar. Uma pesquisa realizada pela Boston University descobriu que pessoas solteiras são mais propensas a manter contato frequente com seus amigos e familiares. Para o estudos, as pesquisadoras analisaram as diferenças dos relacionamentos com parentes, vizinhos e amigos entre casados e solteiros.

Os resultados mostraram que os solteiros eram mais propensos a ter contato e receber ajuda de pais, irmãos, vizinhos e amigos do que os casados. Segundo Bella, para ter uma boa saúde é importante ter pessoas com as quais você possa se abrir, mais do que ter ou não um parceiro.

Outra pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia analisou mais de 800 estudos sobre pessoas solteiras e casadas e descobriu, entre muitos benefícios, que pessoas solteiras praticam mais exercícios que pessoas casadas e possuem IMC menor do que quem tem um parceiro afetivo. Para se ter uma ideia, no geral, os casados pesavam em média 5kg a mais do que os solteiros. As informações são do periódico The Independent.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)