Estresse: 4 sinais de que ele está acima do saudável

Dores nas costas, na cabeça e até mesmo insônia podem ter uma causa em comum: o estresse excessivo

Nem sempre o estresse é algo ruim, afinal, em quantidades adequadas ele pode deixar a memória mais afiada, proteger o corpo de infecções, entre outros benefícios1,2. Quando o estresse é excessivo e se torna crônico, porém, é considerado um problema.

Se nos estressamos diariamente quando acordamos atrasados, enfrentamos trânsito, sofremos pressões do chefe, além de aquelas preocupações com os boletos para pagar, a saúde vai cobrar o seu preço. Sábio, porém, o corpo envia sinais físicos de que é hora de desacelerar, nos dando chances de reverter o quadro.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Veja abaixo alguns sintomas físicos do estresse excessivo e aprenda a se cuidar.

Dor nas costas3,4: é difícil encontrar alguém que nunca reclamou de dores nas costas. No entanto, nem sempre ela tem relação com alguma atividade física feita de forma errada, ou com a postura inadequada no dia a dia. Você já parou para pensar que ela pode ser resultado de um dia cheio de atividades, e consequentemente, estressante? Pois é. Além de muitos outros sintomas, o estresse é capaz de provocar tensão muscular, provocando a dor nas costas. O ideal, portanto, é buscar alternativas para manter a calma sempre que for possível.

Dor no pescoço5,6: o pescoço também não escapa da tensão diária. O estresse é capaz de gerar tensão muscular na região, o que acaba em dor. É possível investir em alongamentos ao longo do dia para evitar a dor, mas a melhor solução ainda é gerenciar o estresse. Quando a dor já apareceu, é possível usar medicamentos relaxantes musculares, como Dorflex, uma potente combinação de analgésico e relaxante muscular. No dia seguinte, porém, é essencial manejar as situações estressantes para que você não se sinta pressionado, já que o estresse está intimamente ligado às tensões musculares.

Dor de cabeça7,8: o estresse é realmente uma dor de cabeça ? e não só no sentido figurado. O excesso de pressões e preocupações pode resultar na cefaleia tensional, o tipo mais comum de dor de cabeça. Ela não costuma ser incapacitante, mas é bem incômoda. De intensidade leve ou moderada e nos dois lados da cabeça, pode atrapalhar muito a rotina no trabalho ou na escola, afinal, quem é que consegue se concentrar e produzir adequadamente quando a sensação de aperto na cabeça não cessa?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como a dor de cabeça tensional pode ser provocada por tensão dos músculos da cervical, ela também deve ser combatida por meio do alívio do estresse. Em casos em que isso não for possível, uma opção para amenizar o desconforto são os medicamentos capazes de relaxar os músculos tensionados, como Dorflex.

Insônia9: além de provocar outros problemas no corpo, o estresse excessivo pode ser uma das causas da insônia. No entanto, qualquer dor é capaz de atrapalhar o sono, e aquelas causadas por tensões musculares não são diferentes. Elas são capazes de atrapalhar consideravelmente o sono, fazendo-nos acordar no dia seguinte sem descansar adequadamente. Quem vive sob alto nível de estresse e está cada dia mais sonolento, deve mencionar essa informação durante uma consulta médica, pois a falta de sono adequado também pode ser uma das causas do aumento do estresse, o que gera um círculo vicioso.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências:

1 - Dhabhar FS. Effects of stress on immune function: the good, the bad, and the beautiful. Immunology Research. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24798553.

2 - Firdaus S. Dhabhar. The Short-Term Stress Response ? Mother Nature?s Mechanism for Enhancing Protection and Performance Under Conditions of Threat, Challenge, and Opportunity. Frontiers in Neuroendocrinology. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5964013/

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

3 - American Psychological Association. Stress effects on the body. Disponível em: https://www.apa.org/helpcenter/stress-body.

4 - Vachon-Presseau E, Roy M, Martel MO. The stress model of chronic pain: evidence from basal cortisol and hippocampal structure and function in humans. Brain - A Journal of Neurology. Disponível em: https://academic.oup.com/brain/article/136/3/815/319059

5 - Amir Bahrami-Ahmadi, Seyed Alireza Mortazavi, Roghayeh Soleimani. The effect of work- related stress on development of neck and shoulder complaints among nurses in one tertiary hospital in Iran. Medical Journal of Islamic Republic of Iran. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5419226/

6 - Ortego G, Villafañe JH, Doménech-García V. Is there a relationship between psychological stress or anxiety and chronic nonspecific neck-arm pain in adults? A systematic review and meta-analysis. Journal of Psychosomatic Research. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27772562

7 - Debashish Chowdhury, Tension type headache. Annals of Indian Academy of Neurology. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3444224/

8 - Mayo Clinic. Tension headache. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/tension-headache/symptoms-causes/syc-20353977

9 - Kuem Sun Han, Lin Kim, Insop Shim. Stress and Sleep Disorder. Experimental Neurobiology. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3538178/

10 - Malvar Ddo C, et al. The antipyretic effect of dipyrone is unrelated to inhibition of PGE(2) synthesis in the hypothalamus. Br J Pharmacol. 2011 Mar;162(6):1401-9.