PUBLICIDADE

Ibuprofeno não substitui antibiótico no tratamento de infecção urinária

Estudo norueguês constatou que tratar o problema com analgésico comum pode até piorar seus sintomas

Apesar de pesquisas já terem apontado que o ibuprofeno seria uma alternativa ao antibiótico em tratamentos contra infecção urinária, um estudo recente da Universidade de Oslo, na Noruega, comprovou que esse tipo de recomendação não é a ideal.

Saiba mais: Entenda para que serve o ibuprofeno

Para esse trabalho, os pesquisadores recrutaram quase 400 mulheres com sintomas de infecção urinária. Enquanto 181 delas receberam uma dose do analgésico ibuprofeno, as outras 178 foram medicadas com pivmecillinam (antibiótico muito utilizado para tratar infecções urinárias na Escandinávia). As participantes e os médicos não sabiam quais medicamentos foram usados por cada pessoa.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Após o monitoramento, notaram que as mulheres que tomaram ibuprofeno demoraram três dias a mais para apresentar melhoras em comparação ao grupo tratado com antibiótico. Além disso, 46% das participantes que usaram o analgésico comum retornaram ao médico quatro semanas depois com sintomas novos, persistentes ou até piores; enquanto apenas 10% das pacientes testadas com pivmecillinam voltaram para uma nova consulta.

Os cientistas concluíram, portanto, que o tratamento à base de antibióticos é o mais indicado para cuidar de infecções urinárias. "Até que possamos identificar pacientes que precisam de tratamento com antibióticos para evitar complicações, não podemos recomendar o ibuprofeno isoladamente para mulheres com infecção urinária", finalizou o estudo.

Como prevenir a infecção urinária

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Uso do ibuprofeno

O ibuprofeno é um medicamento analgésico e antitérmico indicado para reduzir a febre e melhorar temporariamente dores leves e moderadas, como dor de cabeça, dor de dente, dor muscular, dor lombar, tendinite e outras associadas à processos inflamatórios, além de aliviar cólica menstrual e dores associadas à gripe.