PUBLICIDADE

Colite: o que é, tipos, sintomas, tratamento

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Visão Geral

O que é Colite?

A colite é uma inflamação do cólon (intestino grosso). O termo também é usado para designar outros problemas do trato intestinal, como diarreia e infecções intestinais.

Quando acometido pela colite, o intestino grosso perde a capacidade de absorção de nutrientes. A doença pode ser tanto aguda quanto crônica, dependendo de sua gravidade.

Tipos

Existem diversos tipos de colite e, em alguns casos, a inflamação pode receber outros nomes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Confira os principais tipos de colite e as nomenclaturas:

Colite ulcerativa

Este tipo de colite afeta a parte mais superficial do cólon e é caracterizada pela diarreia constante, geralmente acompanhada de sangue.

Colite isquêmica

Trata-se de uma colite causada por falta de circulação no intestino. Essa ausência de circulação sanguínea forma algumas úlceras, levando a um quadro inflamatório.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Colite infecciosa

A colite infecciosa pode ser causada por bactéria ou por vírus. Geralmente, o contágio se dá pelo consumo de alimento contaminado ou por uma infecção viral - nesse caso, a transmissão acontece como em quadros de gripe, adenovírus, rotavírus e demais viroses.

Enterocolite

A Enterocolite é um tipo de colite que pode ser provocado tanto por infecção bacteriana ou viral quanto por medicamentos e intoxicação alimentar.

Colite pseudomembranosa

A colite pseudomembranosa é uma inflamação do cólon que acontece quando, em determinadas circunstâncias, uma bactéria chamada Clostridium difficile lesiona o intestino grosso por meio de sua toxina, levando à diarreia e ao surgimento de placas esbranquiçadas no interior do cólon.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Colite por medicamento

São as inflamações causadas pelo uso de remédios. Os medicamentos que mais costumam provocar esse tipo de colite são os anti-inflamatórios, que podem dar úlceras no intestino.

Colite por radioterapia

Ocorre em pessoas que fazem ou fizeram radioterapia para o tratamento de câncer de útero. Nesse caso, a radiação ultrapassa o órgão e atinge o intestino - causando a colite actínica, que é por radioterapia.

Diverticulite

A diverticulite, inflamação na parede interna do intestino (divertículos), também pode ser um tipo de colite. Neste caso, a inflamação da colite pode segmentar-se nos divertículos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Colites idiopáticas (autoimunes)

Entram aqui os casos de retocolite ulcerativa e a Doença de Crohn, enfermidades em que a pessoa desenvolve anticorpos que se voltam contra o próprio organismo e isso resulta em uma inflamação do intestino.

Na Doença de Crohn, as regiões afetadas pela inflamação são, predominantemente, a parte inferior do intestino delgado e o intestino grosso (cólon).

Causas

Múltiplas razões podem levar uma pessoa a desenvolver um quadro de colite. Veja alguns exemplos:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Colite

Os sintomas de colite também costumam variar de acordo com o tipo da doença. No geral, os mais comuns são:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para estabelecer qual é o tipo de colite do paciente, um dos aspectos analisados é o histórico dos sintomas apresentados.

As colites autoimunes costumam apresentar sintomas, como diarreia e sangue nas fezes, por semanas, meses e até anos.

As infecciosas têm sintomas agudos, semelhantes à gripe, como nariz escorrendo e febre. A colite pseudomembranosa costuma ter o histórico de uso de antibiótico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Entre em contato com um médico você apresentar sintomas relacionados a uma possível colite. Fique atento aos seguintes:

Se apresentar os sintomas acima e eles começarem a atrapalhar seu dia a dia, consulte um gastroenterologista, que é especialista no trato gastrointestinal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Na consulta médica

No consultório médico, descreva detalhadamente todos os sintomas e procure tirar todas as dúvidas. O médico também deverá lhe fazer algumas perguntas, tais como:

Diagnóstico de Colite

O diagnóstico de colite geralmente começa com um exame físico e o questionamento sobre o histórico médico do paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em seguida, o médico poderá solicitar exames de sangue, de urina e de fezes para checar quaisquer anormalidades.

Depois, o paciente talvez também tenha de realizar exames de imagem, como colonoscopia e tomografia computadorizada, que ajudarão o especialista a identificar possíveis inflamações no cólon.

Colite tem cura?

As colites agudas (bacteriana, pseudomembranosa e viral) têm cura. Já os quadros autoimunes, inflamatórias (Crohn e retocolite ulcerativa) não têm cura - mas são possíveis de serem controlados. Para isso, são indicados medicamentos e até mesmo cirurgia para o paciente ter vida normal.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Colite

O tratamento de colite depende muito da causa subjacente. No caso de uma diarreia aguda, provocada por um vírus, a indicação é hidratação, dieta leve e repouso. Geralmente, em alguns dias o problema se resolve sozinho.

Antibióticos específicos são usados para quadros bacterianos, e casos da doença de Crohn e retocolite também são tratados com medicamentos especiais.

Além do uso de medicações, a hidratação para repor o líquido perdido com a diarreia, seguir uma dieta que evite fibras e tenha baixa ingestão de proteínas e outros cuidados com alimentação, de acordo com a indicação do médico, são indicadas para o tratamento.

Cirurgia de colite

A cirurgia só é indicada para quadro de colite muito graves, normalmente as autoimunes e sem a indicação de tratamento clínico. Não é usual a recomendação de cirurgia como primeira opção.

Medicamentos para Colite

Os medicamentos mais usados para o tratamento de colite são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Algumas medidas caseiras, no entanto, podem ser adotadas para ajudar no tratamento e na recuperação de casos de colite.

Entre elas estão a adoção de um estilo de vida saudável, voltado especialmente para a alimentação regrada e hidratação. É recomendado evitar o tabagismo e o consumo de bebida alcoólica em excesso. Procure manter um peso saudável também.

Complicações possíveis

Se não for tratada, a colite pode evoluir para complicações de saúde mais graves, envolvendo sempre quadros de infecção e podendo chegar a um caso de sepse.

Algumas complicações decorrentes de colite incluem:

Prevenção

Prevenção

A prevenção também depende da causa específica da colite. Em geral, boa alimentação, hábitos de higiene (lavar as mãos e alimentos), evitar contato com pessoas infectadas, e cuidados no uso de antibiótico e anti-inflamatório são alguns métodos que ajudam a prevenir doenças gastrointestinais.

Entretanto, não há como prevenir as colites crônicas, já que são quadros ligados à genética do paciente.O que é possível é o tratamento e controle da doença.