Dispepsia: tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Dispepsia?

Sinônimos: indigestão, repleção desconfortável após as refeições

Dispepsia, popularmente conhecida como indigestão, é o nome dado à sensação de desconforto na parte superior do abdômen durante ou logo após uma refeição.

A dispepsia pode estar relacionada a diversas doenças subjacentes, mas inclui uma série de outros sintomas, como dor, arrotos, empachamento, sensação de peso, queimação, náusea e saciedade precoce.

Os sintomas de dispepsia são comumente confundidos com os de azia e gastrite, mas nem sempre a indigestão é sinal de um problema mais grave.

Causas

A dispepsia está mais relacionada a certos hábitos. Veja:

  • Consumo excessivo de bebidas alcóolicas
  • Ingestão de alimentos
  • Comer em excesso
  • Ingerir grandes quantidades de alimentos ricos em fibras, como alguns vegetais, pão integral e algumas frutas e verduras
  • Consumo excessivo de cafeína
  • Tabagismo.

Diversas causas subjacentes também podem levar à dispepsia. Confira exemplos:

Problemas gastrointestinais

Medicamentos

  • Antiinflamatórios
  • Teofilina
  • Suplementos de ferro e potássio
  • Antibióticos
  • Niacina
  • Quinidina

Trato biliar

Problemas no pâncreas

Doenças sistêmicas

Outras causas

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Dispepsia geralmente não é sinal de um problema de saúde mais grave, a menos que outros sintomas também ocorram, como:

Pessoas acima dos 45 anos também estão sob maior risco de contrair essa condição.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar dispepsia são:

  • Clínico geral
  • Gastroenterologista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Além da indigestão, você apresentou outros sintomas? Quais?
  • Com que frequência você apresentou esses sintomas?
  • Qual a intensidade desses outros sintomas?
  • Você já foi diagnosticado com algum outro problema gastrointestinal antes? Qual? Está fazendo tratamento?
  • Você faz uso de algum tipo de tratamento? Qual? Qual a dosagem?
  • Você consome bebidas alcóolicas? Com que frequência?
  • Você fuma? Com que frequência?
  • Você consome bebidas ricas em cafeína? Com que frequência?
  • Como é sua dieta diária? Você segue algum plano nutricional?
  • Você costuma comer rápido demais?
  • Você costuma comer em excesso?
  • Você costuma ingerir bebidas gaseificadas, como refrigerantes?
  • Quando você costuma sentir mais desconforto? Antes, durante ou após as refeições?

Tratamento e Cuidados

Medicamentos para Dispepsia

A dispepsia pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Os medicamentos mais comuns no tratamento de dispepsia são:

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

A mudança de hábitos alimentares pode aliviar a dispepsia, como:

  • Comer mais devagar
  • Mastigar bem a comida antes de engoli-la
  • Evitar conversar enquanto come
  • Evitar a prática de exercícios físicos logo após comer
  • Seguir uma dieta balanceada, rica em nutrientes e com menores quantidades de fibra e teor de gordura

Você também pode fazer uso de antiácidos e outros medicamentos vendidos sem necessidade de prescrição médica em farmácias para aliviar os sintomas de dispepsia.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Federação Brasileira de Gastroenterologia
  • Sociedade Portuguesa de Gastroenterologia