Dor abdominal

Visão Geral

O que é Dor abdominal?

Sinônimos: dor no abdome

Dor abdominal é aquela sentida em qualquer região entre o tórax e a virilha. Essa área é frequentemente conhecida como a região do estômago ou barriga.

Veja também: Dor abdominal - crianças com menos de 12 anos

Sinônimos

Dor de estômago; Dor no abdome; Dor na barriga; Cãibras abdominais; Dor de barriga; Dor de estômago

Causas

A dor abdominal pode ser causada por muitas e diferentes condições. O principal é saber quando a pessoa precisa de cuidados médicos imediatos. Às vezes, só é preciso chamar o médico se a dor abdominal persistir por muito dias.

Aparelho digestivo

Os casos menos graves de dor abdominal incluem:

As outras causas possíveis de dor abdominal incluem:

Às vezes, a dor abdominal pode ser causada por um problema em outra parte do corpo, como tórax ou região pélvica. Por exemplo, você poderá ter dor abdominal se sofrer:

Prevenção

Prevenção

Os passos a seguir podem ajudar a prevenir alguns tipos de dor abdominal:

  • Evite alimentos gordurosos ou oleosos.
  • Tome muita água diariamente.
  • Faça refeições menores e mais frequentes.
  • Pratique exercícios regularmente.
  • Limite alimentos que produzem gases.
  • Certifique-se de que suas refeições são bem equilibradas e ricas em fibras. Coma muitas frutas e vegetais.

Tratamento e Cuidados

Cuidados

Se a dor abdominal for leve, as dicas a seguir poderão ser úteis:

  • Bebericar água ou outros líquidos.
  • Evitar alimentos sólidos nas primeiras horas.
  • Se você vomitou, espere 6 horas e depois se alimente com pequenas quantidades de alimentos leves como arroz, purê de maçã ou biscoitos salgados. Evite laticínios.
  • Se a dor abdominal se manifestar na porção superior do abdome e ocorrer após as refeições, os antiácidos poderão ajudar, especialmente se você sentir azia ou indigestão. Evite os cítricos, alimentos ricos em gordura, fritos ou oleosos, derivados de tomate, cafeína, álcool e bebidas carbonadas.
  • Evite aspirina, ibuprofeno ou outros medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos à base de narcóticos, a menos que prescritos pelo profissional de cuidados de saúde. Se tiver certeza de que a dor não está relacionada ao fígado, você poderá tentar paracetamol.

Considerações

Quase todas as pessoas sofrem de dor abdominal uma vez ou outra. Na maior parte das vezes, a dor não é causada por um problema clínico grave.

A intensidade da dor abdominal nem sempre reflete a gravidade da condição que a esteja causando.

Por exemplo, você pode sentir dor abdominal intensa em caso de gases ou cãibras no estômago por causa de uma gastroenterite viral.

Às vezes, quadros potencialmente fatais como câncer de cólon ou apendicite precoce podem causar dor abdominal apenas moderada ou nenhuma dor.

As outras formas de descrição da dor abdominal incluem:

  • Dor generalizada, significando que ela se manifesta em mais da metade da barriga. Esse quadro é mais típico de vírus estomacal, indigestão ou gases. Se a for se torna mais intensa, o motivo pode ser um bloqueio dos intestinos.
  • A dor localizada é aquela que se manifesta apenas em uma área da barriga. Esse tipo de dor abdominal é, mais provavelmente, sinal de um problema em algum órgão como apêndice, vesícula biliar ou estômago.
  • Dores semelhantes a cãibras geralmente não são graves e se devem, mais provavelmente, a gases ou timpanismo. Essa dor abdominal é, com frequência, seguida de diarreia. Os sinais mais preocupantes incluem dor abdominal que ocorre de maneira frequentemente, persiste por mais de 24 horas e se manifesta com febre.
  • A dor abdominal em cólica é aquela que se manifesta em ondas. Ela geralmente se inicia e cessa subitamente e é frequentemente intensa. Cálculos renais e biliares são causas comuns desse tipo de dor abdominal.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Busque ajuda médica imediata ou chame o serviço de emergência se você:

  • Estiver sendo atualmente tratado para câncer
  • For incapaz de evacuar, especialmente se você também vomitar
  • Estiver vomitando sangue ou apresentar sangue nas fezes (especialmente se castanho ou escuro, preto piche)
  • Sofrer dor no tórax, pescoço ou ombro
  • Sofrer dor abdominal aguda e súbita
  • Sentir dor nas, ou entre, as omoplatas com náusea
  • Sentir sensibilidade na barriga, ou se a barriga se mostrar rígida e dura ao toque
  • Estiver grávida ou houver essa possibilidade de gravidez
  • Sofreu lesão recente no abdome
  • Tiver dificuldade de respirar

Consulte seu médico se:

  • A dor abdominal persistir por 1 semana ou mais
  • A dor abdominal não melhorar em 24 - 48 horas, ou se tornar mais intensa e frequente e ocorrer com náusea e vômito
  • Timpanismo que persiste por mais de 2 dias
  • Sensação de queimação ao urinar ou micção frequente
  • Diarreia por mais de 5 dias
  • Dor e febre (acima de 37,5°C para adultos e 38°C para crianças)
  • Falta de apetite prolongada
  • Sangramento vaginal prolongado
  • Perda de peso inexplicada

Na consulta médica

O médico realizará um exame físico e fará perguntas sobre seu histórico clínico e sintomas relacionados à dor abdominal, como: vômitos, dores relacionadas, o local da dor e quando ela se manifesta. Tudo isso ajudará o médico a diagnosticar a causa real da dor abdominal.

O médico poderá fazer as seguintes perguntas:

  • Onde você sente dor?
  • A dor é generalizada ou está em local específico?
  • A dor abdominal vai para as costas, virilha ou para as pernas?
  • A dor é intensa, aguda ou em cãibras?
  • A dor abdominal é constante ou vai e vem?
  • Você acorda com a dor à noite?
  • Você já sentiu dor semelhante no passado? Quanto tempo durou cada episódio de dor abdominal?
  • Quando a dor se manifesta? Por exemplo, após as refeições ou durante a menstruação?
  • O que piora a dor? Por exemplo, alimentar-se, estresse ou repouso?
  • O que melhora a dor? Por exemplo, ingerir leite, evacuar ou tomar um antiácido?
  • Quais medicamentos você está tomando?
  • Você sofreu qualquer lesão recente?
  • Você está grávida?
  • Quais sintomas você tem?

Os exames que podem ser realizados para dor abdominal incluem:

  • Enema de bário
  • Exames de sangue, urina e fezes
  • Tomografia computadorizada
  • Colonoscopia ou sigmoidoscopia
  • ECG (eletrocardiograma) ou traçado cardíaco
  • Ultrassom do abdome
  • Estudo radiológico GI alto e do intestino delgado
  • Radiografia do abdome

Fontes e referências

  • Ebell MH. Diagnosis of appendicitis: part 1. History and physical examination. Am Fam Physician. 2008;77:828-830.
  • Bundy DG, Byerley JS, Liles EA, Perrin EM, Katznelson J, Rice HE. Does this child have appendicitis? . 2007;25:438-451.
  • Millham FH. Acute abdominal pain. Em: Feldman M, Friedman LS, Brandt LJ, eds. Sleisenger & Fordtran''s Gastrointestinal and Liver Disease. 9a. ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2010:cap 10.
  • Postier RG, Squires RA. Acute abdomen. Em: Townsend CM Jr., Beauchamp RD, Evers BM, Mattox KL, eds. Sabiston Textbook of Surgery. 18a. ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier;2007: cap 45.
  • Rimon, N, Bengiamin RN, Budhram GR, King KE, Wightman JM. Abdominal pain. Em: Marx JA, ed. Rosen''s Emergency Medicine: Concepts and Clinical Practice. 7a. ed. Philadelphia, Pa: Mosby Elsevier;2009:cap 21.
ADAM logo

A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles.

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não

Mais Sobre

carregando...

Mais sobre

  • já ajudou pessoas