PUBLICIDADE

Damares propõe ampliar licença-maternidade para um ano

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos também propõe que a licença-paternidade seja de dois ou três meses

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou que gostaria de ampliar a licença-maternidade e a licença-paternidade no Brasil, em entrevista ao Uol e à Folha, na quinta-feira (26). A proposta de Damares é que a licença-maternidade seja estendida para um ano e a licença-paternidade seja ampliada para dois ou três meses.

Atualmente, a mãe tem direito a 120 dias com o filho e o pai 5 dias após ele nascer.

Em entrevista, Damares comparou a realidade da licença-maternidade da Hungria com a do Brasil. Na Hungria, são três anos de licença maternidade. No primeiro ano, a mulher ganha 110% do salário. Segundo ano, 80%. No terceiro, 50%. Se quiser voltar ao trabalho no segundo ou terceiro ano, 60%. "Agora essa é a realidade no Brasil? Não é. Podemos lutar por isso? Podemos. Vamos ter resistência? Muita", afirmou a ministra.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ao defender a proposta, Damares diz que sabe que a indústria vai reagir e que tem consciência que a pauta depende do Congresso, mas afirma que há diversos projetos apresentados nesse sentido que contarão com seu apoio. "Defendo mais tempo da mãe com a criança em casa", ressaltou a ministra.

Importância da licença-maternidade para mães e bebês

Segundo a psicóloga Marisa Sanabria, o momento após o nascimento é essencial para que a mãe o filho criem uma proximidade, já que não se conhecem. "É importante a construção de uma intimidade entre a mãe e o bebê, para que se construa códigos nessa relação", explica.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que o aleitamento materno seja o único alimento oferecido ao bebê até os seis meses de idade. Pesquisadores da Universidade de Brasília, Universidade de São Paulo e da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo descobriram que, entre as mulheres que não entraram em licença-maternidade, as chances de interromper a amamentação exclusiva era 23% maior.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mesmo que a licença-maternidade seja essencial para o aleitamento e para estabelecer a conexão entre a mãe e o filho, a psicóloga Marisa explica que não deve-se culpar a mãe que precisa trabalhar durante o período. Essa teia de relações afetivas pode ser construída também com outros familiares, como o pai ou os avós

Saiba tudo sobre licença-maternidade

Licença-maternidade: quanto tempo, quem tem direito e dúvidas frequentes

Maternidade e trabalho: uma relação que pode ser harmoniosa

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Retomar a carreira após a maternidade exige esforço; mas é possível