PUBLICIDADE

Veja se o seu filho está pronto para viajar sozinho

A criança precisa querer ficar longe de casa e você tem que ter disposição para deixar

Em algumas delas, os olhinhos brilham só de ouvir a sentença mágica: sim, pode ir! Mas nem toda criança aceita bem a idéia de viajar sozinha, podendo até sair traumatizada da experiência. E perceber a diferença entre uma situação e outra nem sempre é fácil, principalmente quando os pequenos parecem empolgados em passear por uns dias com a escola ou na companhia da família de um amiguinho. Para ajudar você a descobrir se o seu filho está pronto para ficar uns dias longe de casa e dos pais, sem sofrimento, o Minha Vida convocou duas especialistas em investigar o comportamento infantil: juntas, a psicanalista Juliana Amaral de Andrade, especializada em psicanálise da Criança, e a psicóloga infantil Jamille Nassar mostram que pistas seguir ara decifrar o enigma, evitando respingos de culpa ou arrependimento.

Os limites

três meninas brincando no quarto com lanternas - Foto Getty Images
três meninas brincando no quarto com lanternas - Foto Getty Images

Antes de dizer sim para uma experiência que demande vários dias longe de casa, é muito importante que se filho tenha experimentado pequenos momentos de distância. Uma ideia é ver como ele reage ao dormir na casa de avós, primos ou amigos. Existem crianças que até pedem para dormir fora de casa. Mas, quando chega a noite, elas não conseguem relaxar, sentem medo e sofrem com saudade dos pais, afirma Juliana Amaral. Nesses casos, esperar que seu filho cresça um pouco mais antes de vivenciar a distância.

Respeitando a vontade dele

criança emburrada - Foto Getty Images
criança emburrada - Foto Getty Images

Outro item muito importante é ter certeza que seu filho deseja embarcar nessa aventura. Caso contrário, o passeio ganha cara de castigo e ninguém se diverte. A criança mostra muito claramente quando não deseja fazer a viagem, afirma a psicanalista. Os aborrecimentos ficam claros já no caminho: a criança pára de falar na viagem, fica muito quieta ou agitada de repente, faz xixi na cama ou chora demais, por exemplo. Tudo isso é sinal de insegurança e, percebido a tempo, permite repensar a decisão. Converse com seu filho, para que ele tire todas as dúvidas e decida se realmente quer ir, recomenda Jamile Nassar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A cautela vale mesmo quando há empolgação fora do normal. Crianças mudam de idéia na última hora sem nenhum constrangimento. Reaja com tranquilidade e dê oportunidade para que ela desista, sem que isso seja algo complicado ou punitivo afirma a psicóloga. Combinar que, no próximo ano, ela pode repensar e fazer a viagem da forma como preferir.

Cuidados necessários

Pai colocando lista de telefones na geladeira - Foto Getty Images
Pai colocando lista de telefones na geladeira - Foto Getty Images

A confiança nos adultos que acompanham seu filho não dispensa alguns cuidados básicos (que vão deixar a todos mais seguros e despreocupados). Anote os números dos telefones de casa, celular e até mesmo de parentes, caso a criança precise falar com você. Pode parecer uma coisa simples e óbvia, mas muitas crianças ainda não sabem de cor o telefone de sua casa e quando sabem o de sua casa, não sabem os de outros membros da família.

Idade ideal

menino segurando uma mala no aeroporto - Foto Getty Images
menino segurando uma mala no aeroporto - Foto Getty Images

Existem crianças que, aos 4 anos, já dormem uma noite na casa de amiguinhos da escola. Antes disso, aliás, é muito cedo e desnecessário. A criança ainda não se sente segura o bastante para passar muito tempo longe dos pais afirma a especialista Juliana Amaral. Mas se o seu filho for mais velho e não tiver vontade de viajar sozinho, respeite. Sabendo que tem o apoio dos pais, ele se sentirá mais confortável em exercitar a autonomia, no ritmo dele.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Viagem com a escola

ônibus de excursão escolar - Foto Getty Images
ônibus de excursão escolar - Foto Getty Images

Se a viagem for com a escola, não hesite em fazer perguntas e até mesmo conversar com a professora, se sentir necessidade. Nesse caso, os problemas são menores porque seu filho tende a ver o professor como um adulto que ele poderá recorrer diante de qualquer problema enquanto estiver fora de casa. Mas nada de colocar telefone celular na mochila do filho. Quando as viagens são com escola, existem momentos certos para o contato.

Crianças inseguras

Menina cobrindo o rosto com a as mãos - Foto Getty Images
Menina cobrindo o rosto com a as mãos - Foto Getty Images

Crianças muito inseguras não podem ser forçadas a dormir fora de casa ou a viajar sós se não se sentirem confiantes para isso. Se, entretanto, seu pequeno mostrar que deseja fazer a viagem mesmo com medo, converse com ele para encorajá-lo a ir, diga que ele pode ligar a qualquer momento, caso sinta vontade de voltar para casa.

Quem será que está com medo?

Filho deitado na cama dos pais - Foto Getty Images
Filho deitado na cama dos pais - Foto Getty Images

Muitas vezes, as crianças têm vontade de viajar sozinhas, mas não fazem isso por causa da insegurança dos pais (que ficam pondo cascatas de obstáculos para autorizar o passeio). São pais que têm dificuldade em assumir o crescimento dos filhos e a capacidade deles de tomar as próprias decisões , afirma Juliana. Lembre-se do mesmo conselho que você daria a ele: qualquer eventualidade, é só buscá-lo no meio da noite ou providenciar que ele volte.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)