PUBLICIDADE

Sangramentos dificultam a descoberta da gravidez

Feridas ou má-formação no útero causam fluxo que é confundido com a menstruação

Sua menstruação continua vindo normalmente. Mas, numa visita de rotina, o ginecologista desconfia de algo estranho e pede os exames. Quando chega o resultado, uma surpresa: você está grávida. "A situação não é comum, a gestação interrompe os sangramentos. Mas eles podem acontecer em algumas situações", afirma o ginecologista Rogério Fenile, professor da Uninove e médico do Hospital Pérola Byington.

Em geral, os sangramentos durante a gravidez têm três explicações: casos de abortamento; feridas ou pólipos (verrugas) no colo do útero e má-formação do útero. "Mulheres com o chamado útero bicorno apresentam duas cavidades em vez de uma. Então, se a gestação ocorre numa delas, a outra pode continuar sangrando normalmente", diz o médico.

Esse tipo de condição não tem tratamento e é diagnosticada no ultra-som transvaginal, pedido rotineiramente pelo ginecologista. Quando as imagens não são suficientes para identificar o problema com segurança, o especialista pede uma ressonância magnética. "Vale ressaltar, no entanto, que menos de 1% das pacientes apresentam útero bicorno", afirma o ginecologista da Uninove. A dificuldade para engravidar é notória nesses casos, pois a capacidade de expansão do útero é menor.

O sangramento mais confundido com a menstruação, entretanto, vem das ameaças de abortamento. Mesmo quando há um descolamento leve da placenta, o fluxo é intenso e pode ser interpretado como menstruação. O médico, ao pedir os exames, receita medicamentos com progesteorona e repouso, evitando que o quadro se encaminhe para o aborto.

Mas, além da interrupção no ciclo menstrual, o corpo feminino dá outros sinais indiretos de que uma gestação está em curso. A intimidade consigo mesma é a melhor maneira de percebê-los. "Aumento na salivação, dor e inchaço nas mamas, enjôos, náuseas, tonturas e sonolência são os sintomas mais comuns, mas nem toda mulher consegue reparar neles", diz o ginecologista.

Na avaliação clínica, seu médico pode desconfiar de uma gravidez a partir do exame de toque vaginal. Isso porque há um aumento discreto no volume do útero, em si, e mudança na estrutura fibroelástica do colo do útero, que fica mais amolecida. "Mas, só com o exame de toque, é impossível ter certeza. Um mioma provoca essas mesmas alterações", afirma Rogério Fenile. Com dez dias de atraso da menstruação, procure um médico: é o prazo ideal para fazer o exame que identifica uma gestação, medindo a porcentagem de um hormônio chamado gonadotrofina coriônica. A coleta pode ser de sangue ou de urina.