PUBLICIDADE

Dificuldades na infância podem levar ao alcoolismo na adolescência

Estudo mostra que traumas sofridos influenciam comportamento dos jovens

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

Um estudo feito na África feito por pesquisadores do African Population and Health Research Center encontrou uma ligação entre dificuldades enfrentadas na infância e problemas com alcoolismo na adolescência. Na pesquisa publicada no jornal Child and Adolescent Psychiatry and Mental Health, foram entrevistados mais de 9 mil adolescentes entre 12 e 19 anos, que vivem em Ghana, Burkina Faso, Uganda e Malawu.

De acordo com a pesquisa, 9% dos adolescentes falaram que haviam ficado embriagados nos 12 meses antes do levantamento ser feito. Em geral, entrevistados que tinham vivido em vizinhanças onde faltava comida, tiveram contato com um alcoólatra, sofreram abusos físicos ou foram obrigados a fazer sexo durante a sua infância eram aqueles que enfrentavam problemas constantes com bebidas.

Uma pequena pesquisa que tentava encontrar os principais fatores que causavam o alcoolismo na juventude na África subsaariana já tinha sido feita. Essas duas pesquisas juntas podem ajudar estudos feitos em outros países sobre jovens que enfrentam problemas envolvendo bebidas alcoólicas e as suas origens.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"Um tratamento rápido contra os traumas sofridos na infância pode se tornar um componente essencial nas intervenções para prevenir o abuso de álcool entre os adolescentes", avalia a pesquisadora Caroline Kabiru, uma das autoras do estudo.

O papel dos pais também é importante

Além de problemas na infância, o papel dos pais no controle sobre os abusos dos filhos também é importante, segundo uma pesquisa feita pela Brigham Young University, em Utah, nos Estados Unidos. "Embora os amigos sejam muito importantes, os pais é quem são responsáveis por aquilo que o filho será", comenta o professor Stephen Bahr da faculdade BYU de Família, Lar e Ciências Sociais. "Se os pais não podem impedir seus filhos de experimentarem bebidas alcoólicas, eles podem ter um impacto significativo sobre o tipo mais perigoso do hábito de beber, o vício."