PUBLICIDADE

Limpeza excessiva aumenta riscos de leucemia na infância

O contato com bactérias pode ser benéfico ao ativar as funções do sistema imunológico

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

É normal que os pais se preocupem com a higiene das crianças. A falta dela pode provocar doenças como a febre tifóide, ou a esquistossomose. Porém, esta preocupação em excesso pode vir a causar graves consequências para a saúde das crianças. De acordo com estudos publicados no periódico Nature Reviews Cancer, os riscos de desenvolver leucemia na infância aumentam quando a criança não tem seu sistema imunológico estimulado até o primeiro ano de idade.

Quando o bebê não é amamentado ou tem o parto por cesárea, as chances de contrair a doença também aumentam. Isto porque essas práticas inibem o contato dos pequenos com germes e bactérias, presentes por exemplo, no parto natural e na amamentação. Outras formas de estimular a ação do sistema imunológico, é permitindo que as crianças se divirtam com brinquedos sujos, ou entrem em contato físico uma com as outras.

Mel Greaves, professor no Instituto de pesquisa do Câncer, em Londres, estudou a doença por mais de 30 anos, e afirma que a maioria dos casos de leucemia na infância podem ser prevenidos. "O sistema imunológico pode tornar-se cancerígeno ao não entrar em contato com uma quantidade mínima de micróbios no início da vida", afirma em entrevista ao New York Post.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quem pode desenvolver a doença

A criança pode desenvolver a leucemia apenas se já nascer com uma mutação genética específica, que ocorre comumente em uma a cada 20 crianças. Porém, o gene da doença pode ser contido, caso a criança entre em contato com bactérias. Caso o contrário, um simples resfriado pode servir como "gatilho" para o surgimento do câncer.

Em média, uma a cada 100 crianças com os genes da doença irão desenvolvê-la até os 15 anos de idade. Por mais que os avanços médicos possibilitem atualmente, a cura de 90% dos casos, os danos físicos e emocionais da quimioterapia podem durar pela vida inteira.

Ambientes que potencializam os riscos

Países mais ricos e desenvolvidos geram um ambiente favorável ao surgimento da leucemia. Isto porque nestes locais, as crianças tendem a não terem irmãos, o que diminui o contato com terceiros. Além disso, os pequenos socializam menos com outros e também podem ter lares mais limpos em comparação a casas de países mais pobres. Os estudos ainda indicam que os casos de leucemia em países desenvolvidos crescem 1% a cada ano.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Desmistificando a doença

Há quem acredite que a leucemia pode ser causada por radiação, ondas eletromagnéticas, fios ou até mesmo por produtos sintéticos, como o poliestireno. Entretanto, não há evidências científicas que comprovem a veracidade destas informações.

Não se alarme

É importante não desesperar-se. Segundo o autor do estudo, Dr. Alasdair, a leucemia é uma doença rara atualmente, e apenas uma entre duas mil crianças a desenvolvem. "Por mais que estimular o sistema imunológico logo cedo reduza os riscos de ter a doença, nada pode ser feito para impedir definitivamente que as crianças já nasçam predispostas a desenvolver a leucemia", conclui.