PUBLICIDADE

Em crianças, muito tempo em frente à tela pode gerar menos curiosidade e estabilidade emocional

Estudo também descobriu mais chances de haver depressão entre os adolescentes que usam TVs, celulares e computadores por mais de 7 horas ao dia

Os profissionais de saúde já alertam para os malefícios que TV, celulares e computadores causam quando usados por muito tempo. Um novo estudo norte-americano feito com mais de 40 mil crianças e adolescentes descobriu que quanto mais tempo em frente a uma tela, menores eram os níveis de curiosidade, auto-controle, estabilidade emocional, concentração, habilidade de finalizar tarefas e de fazer amigos.

A pesquisa analisou os dados de uma pesquisa feita com crianças e adolescentes de 2 a 17 anos. Esses efeitos negativos foram sentidos a partir de uma hora de uso de telas por dias.

Quando analisavam os adolescentes, fizeram uma comparação entre os que usavam menos de uma hora por dia e mais de 7 horas. Os que usavam mais tinham duas vezes mais chances de terem sido diagnosticados com depressão, ansiedade, tratados por algum profissional de saúde mental (como psicólogo ou psiquiatra) ou tido alguma questão comportamental no ano anterior.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Entre os que usavam pouco (menos de uma hora por dia) ou não usavam, essas medidas de bem-estar não variavam muito.

Como reduzir o tempo em frente à tela

As crianças que passam muito tempo em frente à televisão, tablet ou celular também têm maior risco de obesidade e diabetes. Segundo a endocrinologista Andressa Heimbecher Soares, isso acontece seja por aumento da ingestão de alimentos não saudáveis enquanto na frente das telas, seja por exposição a informações de alimentos pouco saudáveis nas propagandas.

Além disso, os estudos têm mostrado que esse excesso de exposição causa nos adolescentes um aumento da pressão arterial e do colesterol ruim. Também se sabe que a exposição a muitas horas-tela leva a problemas hormonais como a alteração da liberação do hormônio cortisol, como se fosse uma resposta semelhante ao estresse.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Andressa preparou quatro dicas para os pais que querem diminuir o tempo que seus filhos passam em frente a uma tela:

1. Nós sabemos que muitos vídeos na internet têm sido destinados ao público infantil, até para bebês. Esses produtos "facilitam" muito a vida dos pais nessa correria do dia a dia, a fim de entreter os pequenos. Mas o que se sabe é que 8% do cérebro vai se desenvolver nos primeiros três anos de vida, sendo que este é o período mais vulnerável a ser afetado pelas horas-tela. A recomendação é que até a criança completar três anos a exposição às telas seja mínima ou nenhuma.

2. Tirar as televisões dos quartos das crianças ajuda a reduzir e muito as horas-tela.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

3. Programas de televisão com narrativas mais lentas e descritivas devem ser preferidos aos mais agressivos.

4. E por fim, a família deve limitar a exposição da criança. Vejam as horas propostas para cada faixa de idade:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)