Como retomar a vida social com o bebê

Esse é um processo muito particular, mas é essencial que a mulher tenha um tempo para suas questões pessoais e profissionais

Após o nascimento do bebê, a mulher tende a dedicar-se integralmente a ele e, muitas vezes, acaba deixando de lado seus interesses. O retorno à vida social, porém, precisa ser realizado aos poucos porque isso acaba facilitando situações futuras como o retorno ao trabalho e o primeiro dia de escola de seu filho.

"As novas tarefas relacionadas ao bebê associadas ao puerpério podem causar um afastamento da mulher em relação à vida social, pois é preciso ainda levar em consideração o cansaço, a alteração hormonal e os cuidados que um recém-nascido exige", comenta a psicóloga Bárbara Snizek Ferraz de Campos.

Portanto, essa retomada é muito particular. Cada mãe tem sua própria maneira de se inserir no universo materno, mantendo seu lado mulher e profissional. E a forma como a relação com o bebê vai se estabelecendo também é determinante para possibilitar uma reabertura da mãe à sua vida social. Ou seja, não existe um prazo específico e, muitas vezes, isso também depende de uma rede de apoio que a ajude a ter um tempo para si. "Questões como nível social, oscilação hormonal, idade da mãe, por exemplo, podem influenciar nesta decisão", confirma a psicóloga e coach infantil Thaís Ribas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Apesar disso, é essencial que a mãe retome suas atividades pessoais e profissionais, pois também trazem satisfação e prazer. Segundo Thaís, quanto mais conexões essa mãe faz fora do seu ambiente familiar e quanto mais ela consegue se colocar em movimento e em contato social, melhor é para sua família e para seu filho.

Inicialmente, os passeios não precisam ser muito elaborados, pois os mais simples ficam mais fáceis de serem programados e realizados. "Pode começar a sair para dar uma volta no condomínio onde mora e conversar com a vizinha, ir a um cinema que oferece sessão materna, ou seja, ela pode ir retomando em situações que se sente mais segura", aconselha Thais.

Contar com grupos de mães é outra opção de convívio social para a mulher que acabou de ter um bebê. Esses encontros estimulam a convivência e são uma ótima forma de compartilhar experiência e até tirar dúvidas. Afinal, ter amigos por perto traz o sentimento de pertencimento, de não afastamento e reforça o sentimento de que, além de mãe, existe uma mulher ainda ali. "As atividades físicas e algum hobby são boas maneiras para a mãe reconstruir uma rotina e fazer algo para si mesma", sugere Bárbara.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O trabalho também é uma das principais formas de interação social, por isso o retorno à vida profissional pode ser melhor planejado para que aconteça de forma mais tranquila para essa mulher. A dica é ir realizando algumas saídas para ir testando sua reação e a do bebê, por exemplo, deixando-o com alguém da sua confiança para que ela possa fazer outras coisas, ou colocando a criança na escolinha um tempo antes de retornar ao trabalho para que possa fazer a adaptação com calma e dedicação. Essas são atitudes que contribuem para um melhor retorno ao trabalho.

Retornar a vida social não necessariamente precisa ser sem o bebê. Se for com ele, o ideal é escolher um momento em que a criança já tenha mamado e dormido, assim o passeio será mais tranquilo. E se for sem ele, é importante que confie na pessoa ou no lugar em que o filho irá ficar para que possa se concentrar no que decidiu fazer, aproveitando o momento.

"Com equilíbrio, a vida social pode ser retomada gradualmente trazendo benefícios para toda a família", diz Thais. Por isso, a mulher não pode cobrar-se tanto e, as pessoas ao redor, não podem cobrar dela uma vida social intensa. Tudo vai se ajustando com calma para que essa mãe possa compreender que a fase de adaptação é passageira e que logo a vida vai seguindo seu rumo de boa forma.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)