Psoríase

Visão Geral

O que é Psoríase?

A psoríase é uma doença comum da pele caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas, que em geral aparecem no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.

Crônica, porém não contagiosa, surge principalmente entre os 30 e os 50 anos, mas em 15% dos casos pode aparecer ainda na infância.

Tipos

Conheça os oito tipos existentes de psoríase e suas principais características:

Psoríase e dermatite atópica

Psoríase Vulgar

A forma mais comum da doença. É caracterizada por lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas, aderentes e prateadas que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos.

Psoríase Invertida

Nela, surgem lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras, como no couro cabeludo, joelhos e cotovelos.

Psoríase Gutata

Pequenas lesões localizadas, associadas a infecções. Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas, bem próximas aos ombros e quadril, e ocorrem com maior frequência em crianças e adultos jovens.

Psoríase Ungueal

Neste tipo da doença, surgem depressões puntiformes ou manchas amareladas principalmente nas unhas da mãos.

Psoríase Artropática

Em cerca de 8% dos casos, pode estar associada a comprometimento das articulações. Surge de repente com dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou nas grandes articulações.

Psoríase Postulosa

Aparecem lesões com pus nos pés e nas mãos ou espalhadas pelo corpo.

Psoríase Palmo-plantar

As lesões aparecem como fissuras nas palmas das mãos e nas solas dos pés.

Psoríase Eritrodérmica

O tipo menos comum das psoríases, com lesões generalizadas em 75% ou mais do corpo.

Causas

As causas da psoríase ainda não são totalmente claras, mas acredita-se que ela esteja diretamente relacionada a um problema de imunidade.

Em nosso sistema imunológico, existe uma célula conhecida como célula T, que percorre todo o corpo humano em busca de elementos estranhos, como vírus e bactérias, a fim de combatê-los. Se a pessoa tem psoríase, as células T acabam atacando células saudáveis da pele, como se fosse cicatrizar uma ferida ou tratar uma infecção. Isso costuma trazer várias consequências, como a dilatação de vasos sanguíneos e o aumento no número de glóbulos brancos, que avançam para camadas mais externas da pele de forma muito rápida, provocando lesões avermelhadas. Trata-se de um ciclo ininterrupto que só tem fim com tratamento.

O que ainda não está claro é o que leva as células T a não funcionar propriamente durante a psoríase. Os pesquisadores já têm uma pista: aparentemente, a genética está presente em pelo menos 30% dos casos de psoríase, embora eles também acreditem que fatores ambientais também estejam envolvidos na causa.

No entanto, sabe-se que outros fatores também podem desencadear em psoríase, como:

  • Infecções de garganta e de pele
  • Lesões na pele, como feridas, machucados, queimaduras de sol e picadas de inseto
  • Estresse
  • Tempo frio
  • Fumo
  • Consumo excessivo de álcool
  • Medicamentos, como alguns prescritos para transtorno bipolar, pressão alta e malária.

Fatores de risco

  • Histórico familiar: talvez este seja o fator de risco mais significativo para psoríase. Quanto mais parentes diagnosticados com a doença tiver, mais chances de contrair a doença
  • Infecção bacteriana ou viral: pessoas com quadros constantes de infecção têm igualmente mais chances de serem diagnosticadas com a doença
  • Aids/HIV: pessoas com Aids ou portadoras do vírus HIV, que têm deficiência no sistema imunológico, também são mais propensas a contrair psoríase
  • Estresse: ele também pode impactar no sistema imunológico
  • Obesidade: o excesso de peso facilita o desenvolvimento da doença
  • Fumo: o uso do cigarro não só é um fator de risco para psoríase como também determina o quão grave será a doença.

Sintomas

Sintomas de Psoríase

Os sintomas da psoríase variam de pessoa para pessoa, mas geralmente incluem os seguintes:

  • Surgimentos de lesões avermelhadas na pele, cobertas com uma camada brancoprateada e descamativa
  • Pequenas manchas vermelhas (muito comum em crianças)
  • Pele seca, com facilidade para sangramentos
  • Alergias, queimaduras e irritações na pele
  • Unhas espessas e esfareladas
  • Inchaços e articulações rígidas.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

O paciente é frequentemente indicado a um dermatologista. O médico irá lhe fazer diversas perguntas, então certifique-se de que estará bem preparado para responder a elas e tirar todas as suas dúvidas. Veja algumas dicas de perguntas que você poderá fazer ao médico:

  • Quais exames serão necessários para realizar o diagnóstico?
  • Quais os tratamentos disponíveis?
  • Qual o tempo de recuperação?
  • Eu tenho outros problemas de saúde. Como posso conciliá-los com a psoríase?
  • Quais cuidados devo tomar em casa para ajudar na recuperação?

E o que esperar do médico? Confira exemplos:

  • Quando os sintomas começaram?
  • Com que frequência você tem esses sintomas?
  • Os sintomas são contínuos ou ocasionais?
  • Há alguma medida que ajude a amenizar os sintomas?

Diagnóstico de Psoríase

O médico poderá optar por realizar um exame físico, analisando os aspectos da sua pele, unhas e couro cabeludo, e verificando se os sintomas são mesmo de psoríase. Da mesma forma, ele também avaliará seu histórico familiar, já que ter algum parente com psoríase no passado aumenta as chances de contrair a doença.

O especialista também pode pedir para o paciente fazer uma biópsia da pele. Neste caso, ela poderá ser feita até mesmo no próprio consultório médico, com aplicação de anestesia local.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Psoríase

Existem diversos tipos de tratamento para psoríase, mas todos têm pelo menos um dos seguintes objetivos:

  • Reduzir a inflamação e formação das placas, fazendo com que as células da pele parem de crescer tão rápido
  • Regular e normalizar a aparência da pele.

Para isso, existem três opções gerais de tratamento: tópico, oral e por fototerapia. Consulte seu médico para decidir qual a melhor opção de tratamento para você.

Tópico

A maioria dos casos de psoríase é tratada com medicamentos colocados diretamente sobre a pele ou o couro cabeludo:

  • Cremes ou unguentos com cortisona
  • Cremes ou unguentos que contêm alcatrão de carvão ou antralina
  • Cremes para remover a escamação
  • Xampus para a caspa (de venda livre ou com receita)
  • Hidratantes.

Oral

Medicamentos com receita que contenham vitamina D ou vitamina A podem ser prescritos para o tratamento da psoríase. Se você tiver uma infecção, seu médico poderá prescrever um antibiótico.

Fototerapia

A fototerapia é um procedimento no qual a sua pele é cuidadosamente exposta à luz ultravioleta. Pode ser realizada sozinha ou após a ingestão de um medicamento que faz a pele ficar sensível à luz. A fototerapia para psoríase pode ser aplicada com luz ultravioleta A (UVA) ou ultravioleta B (UVB).

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Para ajudar na recuperação, você pode experimentar as seguintes técnicas de cuidados em casa:

  • Banhos de aveia podem ser suavizantes e ajudar a soltar as escamações. Você pode usar produtos para banho de aveia
  • A luz do sol pode ajudar a fazer desaparecer os sintomas. Tenha cuidado para não se queimar
  • Técnicas de relaxamento e antiestresse podem ser úteis. Entretanto, a ligação entre o estresse e os sintomas de psoríase não é bem compreendida
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas, pois ele pode diminuir a eficácia do tratamento.

Expectativas

A psoríase é uma doença para a vida toda que pode ser controlada com tratamento. Ela pode desaparecer por algum tempo e depois voltar. Com o tratamento apropriado, ela normalmente não afeta a condição física em geral.

Complicações possíveis

  • Artrite
  • Dor
  • Problemas nos olhos, como conjuntivite
  • Obesidade
  • Diabetes do tipo 2
  • Pressão alta
  • Doenças cardiovasculares
  • Síndrome metabólica
  • Doenças autoimunes
  • Mal de Parkinson
  • Doenças nos rins.

Psoríase pode ainda causar problemas na qualidade de vida do paciente, levando-o a sintomas de depressão, baixa autoestima, isolamento social e problemas no trabalho e em outros círculos sociais.

Prevenção

Prevenção

Não há uma maneira conhecida de prevenir a psoríase, mas você pode agir para evitar que as crises da doença ocorram. Confira algumas medidas:

Hidratação

Pessoas com psoríase devem usar hidratantes corporais várias vezes ao dia, principalmente nas áreas onde costumam aparecer as lesões. Prefira aqueles que não tenham muito perfume e cor, pois são menos propensos a desencadear uma alergia. Outra recomendação é evitar produtos com ureia, que podem causar ardência nas regiões mais sensíveis ou em processo de cicatrização. Aproveite o pós-banho para fazer a hidratação principal.

Esfoliação

A esfoliação é contraindicada para pacientes que sofrem de psoríase. Além disso, o procedimento pode causar rompimento da pele, desencadeando uma nova crise. Este é o chamado fenômeno de koebner, em que um trauma em alguma região saudável da pele leva ao surgimento de lesões que existiam em outras partes do corpo. O mesmo acontece em portadores do vitiligo.

Sol

Tomar sol não só é permitido como é recomendado para pacientes com psoríase. Mas, claro, alguns cuidados. O primeiro deles em relação ao horário de exposição. Aproveite o calorzinho do sol até as 10h ou após as 16h. Outro cuidado é a duração da exposição. Cerca de 10 minutos já são suficientes para aproveitar o efeito anti-inflamatório dos raios solares. O filtro solar pode ser usado apenas nas lesões de longa duração e, após o banho de sol, recomenda-se o uso de um hidratante.

Depilação

De acordo com a dermatologista Cláudia, homens podem fazer a barba com lâmina normalmente, tomando cuidado apenas com traumas que possam provocar lesões. A depilação, por sua vez, requer ainda mais atenção. O paciente deve optar pelo método que traumatizar menos a pele. Se ele tem alergia à lâmina, por exemplo, deve evitar o uso. Se tem alergia à cera, por outro lado, recomenda-se tentar a lâmina. Entretanto, se a área estiver muito inflamada, o ideal é tratar a pele antes de realizar qualquer procedimento para evitar o agravamento do quadro.

Banho

O banho do paciente com psoríase deve ser rápido, morno e sem o uso de buchas. Quanto ao sabonete, prefira as versões neutras e glicerinadas. Por fim, seque a pele com uma toalha macia sem esfregar e tome cuidado especial com as regiões lesionadas.

Cosméticos

Antes de realizar qualquer procedimento estético, consulte seu dermatologista. Segundo ela, a maior parte dos produtos pode ser usada em regiões livres de lesões. Nas áreas com traumas, entretanto, é preciso tomar cuidado para que substâncias presentes nas composições não agravem o quadro.

Roupas

Opte sempre pelo conforto. Roupas muito justas ou que não são de algodão podem impedir que a pele transpire normalmente, favorecendo a proliferação de fungos. Assim, prefira peças que permitam ventilação e não limitem seus movimentos.

Tatuagem e piercing

Como a psoríase é uma doença caracterizada pelo fenômeno de koebner, o paciente deve estar ciente de que traumas causados por uma tatuagem ou um piercing podem desencadear o aparecimento de lesões. Se você for arriscar, vale saber que está correndo o risco de surgir uma lesão crônica no local. Procedimentos para eliminar tatuagens também favorecem lesões.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Sociedade Brasileira de Dermatologia
  • Mayo Clinic
  • Psoríase Brasil
  • Janssen
  • Associação Nacional dos Portadores de Psoríase
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não

Mais sobre

carregando...
  • já ajudou pessoas