PUBLICIDADE

Ninfomaníaca: saiba se você tem sintomas do vício em sexo

A compulsão sexual isola as pessoas, e as coloca em um estado emocional imprevisível, com a satisfação e a frustração andando lado a lado

Atriz Stacy Martin como Joe no filme Ninfomaníaca - Foto: Divulgação
Atriz Stacy Martin como Joe no filme Ninfomaníaca - Foto: Divulgação

Você provavelmente já assistiu ou ouviu falar no filme "Ninfomaníaca". Ele retrata a história de Joe, uma mulher que convive com um transtorno de hipersexualidade, chamado de ninfomania.

Ao decorrer do longa-metragem, vemos a personagem passar por situações extremas para satisfazer seu desejo por sexo. O problema é que, por mais que ela transe com diversos parceiros, ela não encontra satisfação, e precisa embarcar em uma odisseia sexual a fim de cessar uma necessidade inquietante.

Apesar de ser uma história fictícia, esta é a realidade de muitos homens e mulheres que sofrem com o vício em sexo. A condição pode ser interpretada como um desvio de caráter para alguns, mas, na verdade, trata-se de uma compulsão que coloca nossa saúde física e emocional em risco.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O que é ninfomania

Da mesma forma que podemos ter compulsões por bebidas, comidas ou compras, também é possível ter a compulsão por sexo, chamada de ninfomania. De acordo com o Código Internacional de Doenças (CID-10), a condição não está relacionada à produção de hormônios sexuais.

Portanto, não existem razões biológicas para explicar o comportamento. De acordo com o psiquiatra Arnaldo Barbieri, não basta gostar muito de sexo para ser considerado uma ninfomaníaca.

Ninfomania para homens e mulheres

A ninfomania representa um distúrbio de hipersexualidade, ou uma compulsão sexual. O termo vem de "ninfa" e se refere à mulheres. No caso dos homens, o vício em sexo pode ser chamado de satiríase.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Gostar muito de sexo x ser ninfomaníaca (o)

O desejo sexual se transforma em um transtorno de hipersexualidade quando é possível perceber que estamos sofrendo e tendo nossas vidas social, profissional e sentimental prejudicadas.

"Quando gostamos muito de sexo, a dependência não existe. Podemos querer a prática várias vezes na semana, mas caso isso não aconteça, não há problemas. Não é algo que pode causar uma depressão ou um alto índice de ansiedade", explica a sexóloga Carla Cecarello.

Causas da ninfomania

1. Traumas na infância

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo Carla, a ninfomania pode ter suas raízes na infância. Quando a criança é vítima de agressões físicas e emocionais, o sexo pode se tornar uma forma de aliviar os traumas na fase adulta. A prática começa a ser a maior fonte de bem-estar do compulsivo, não sendo possível viver sem.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

2. Distúrbios psicológicos e medos

A psicóloga Milena Lhano aponta que a ninfomania pode ser originada por transtornos psicológicos. Temores, vícios e distúrbios emocionais fazem parte do mesmo ciclo. Portanto, um medo pode estar associado a uma compulsão e ambos podem estar sendo gerados por doenças maiores.

Um exemplo disso é o medo da solidão: a sensação de isolamento pode fazer com que nós busquemos diversos parceiros sexuais. Mas, por trás do estar solitário, pode existir um transtorno maior, como a depressão, que nos faz adotar comportamentos que preencham nossos vazios.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Arnaldo Barbieri afirma que outras doenças, como o Transtorno Bipolar (em sua fase maníaca) e TDAH, também podem instigar a ninfomania. Porém, é importante lembrar que o quadro pode ocorrer em pessoas sem outros distúrbios psiquiátricos.

Sintomas da ninfomania

Foto: Mivolchan19/Shutterstock
Foto: Mivolchan19/Shutterstock

De acordo com Carla Cecarello, os sintomas mais comuns da ninfomania podem incluir:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Consequências da ninfomania

Sentir a necessidade de algo e não poder corresponder esse desejo é doloroso. Agora imagine isso acontecendo diariamente. É possível perceber que viveríamos em um ciclo de constante frustração e tristeza. E é exatamente dessa maneira que os viciados em sexo passam a maior parte de seus dias.

Em suas buscas constantes por um prazer inalcançável, quem convive com essa condição acaba tendo crises de ansiedade, pânico e depressão. De acordo com Milena Lhano, em seus estágios mais graves, a ninfomania também gera comportamentos e pensamentos obsessivos, que podem levar até mesmo ao suicídio.

"Na crise de compulsão sexual, a pessoa se masturba ou tem relações sexuais excessivamente, e mesmo assim não se sente saciada. Tudo isso traz picos alternados de prazer e culpa, que aumentam ainda mais a ansiedade de quem está vivendo a situação", explica a especialista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

2 - Ninfomania e relacionamentos

Ser ninfomaníaca é um vício e, portanto, um distúrbio - Foto: Shutterstock
Ser ninfomaníaca é um vício e, portanto, um distúrbio - Foto: Shutterstock

Assim como qualquer outro vício, a ninfomania pode ser despertada em situações e ambientes aleatórios. Com isso, o(a) ninfomaníaco(a) começa a notar problemas constantes em seus relacionamentos pessoais, e também em seu desempenho profissional.

"Não é impossível que uma pessoa com ninfomania possa manter um relacionamento. Entretanto, ele será conflituoso, e repleto de insatisfações", diz Milena. Isso acontece porque quem tem vício em sexo estará sempre querendo mais, e seu parceiro sentirá uma grande cobrança para corresponder aos desejos do outro.

3 - Ninfomania e vida profissional

Em âmbito profissional, as consequências também são notáveis. "A pessoa não consegue mais se concentrar em suas tarefas, porque só é capaz de pensar em transar. Com isso, ela acaba indo ao banheiro diversas vezes para se masturbar, e não consegue mais dar atenção às suas obrigações", esclarece a especialista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

As amizades e os laços familiares também vão sendo enfraquecidos aos poucos, porque a ninfomania não permite que consigamos relaxar durante eventos sociais. O desejo sexual constante faz com que precisemos nos engajar em encontros sexuais diariamente, o que reduz o espaço em nossa rotina para focarmos em relacionamentos pessoais.

4 - Ninfomania e saúde sexual

O número elevado de transas também aumenta as chances de ter relações desprotegidas e contrair infecções sexualmente transmissíveis. Em casos mais extremos, as vítimas da condição recorrem à prostituição para corresponder o vício.

Como saber se sou ninfomaníaca (o)

Por mais que o termo "ninfomaníaca" esteja se referindo a mulheres, também é possível que homens sofram com a compulsão sexual. E o que caracteriza o vício é a impossibilidade de controlar os próprios impulsos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Acompanhado do descontrole, existe a insatisfação constante. Não importa o quanto você transar, o prazer nunca será atingido. E por mais que exista um contentamento após o sexo, ele não dura por muito tempo, já que quem tem vício se sente culpado por sua rotina sexual.

Comportamentos de alerta para a ninfomania

Outros comportamentos também podem servir como um alerta para a ninfomania. Veja a seguir:

1. Masturbação excessiva

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a masturbação pode ser um indicativo de hiperssexualidade quando acontece diariamente, em pelo menos três períodos do dia. "A prática começa a ser encarada como uma maneira de aliviar tensões. Fica impossível ir trabalhar ou dormir sem se masturbar", alerta Carla.

2. Consumo exagerado de pornografia e sexo virtual

A compulsão sexual também pode ser manifestada em ambiente virtual. Pessoas que não têm a possibilidade de ter encontros sexuais físicos podem criar uma relação de dependência com sites pornográficos. Com isso, seus relacionamentos começam a ser prejudicados, pois a pessoa passa a maior parte do tempo em casa, consumindo conteúdo erótico.

Tratamento de ninfomania

Foto: Photographee.eu/Shutterstock
Foto: Photographee.eu/Shutterstock

Acoplado ao trabalho do psicólogo, o psiquiatra engloba remédios na rotina do paciente, que reduzem o vício em sexo gradativamente. "A psiquiatria diminui os sintomas, e a psicoterapia encontra as causas. O tratamento não cura, mas controla os impulsos sexuais de uma maneira muito eficaz", esclarece Carla.

A sexóloga não recomenda que as pessoas tentem se curar sozinhas, apenas com autocontrole. Por mais que seja difícil falar sobre a situação com um psicólogo e/ou psiquiatra, a participação destes especialistas é imprescindível.

No momento de entrar no consultório, pense que você está ali para lutar pelo seu bem-estar, e para recuperar sua qualidade de vida. Não há vergonha em cuidar de si mesmo. Não se esqueça de que a pessoa que irá atender você será imparcial, e nunca julgará sua condição.

Comportamentos que não caracterizam a ninfomania

Ter fantasias sexuais com estranhos e conhecidos, mesmo que constantemente, não é um indicativo de ninfomania. De acordo com Carla Cecarello, quem está em um relacionamento e idealiza situações eróticas com outros, pode estar insatisfeito com a realidade atual, e ter o desejo de embarcar em novas aventuras.

Para quem está solteiro, a fantasia pode estar sinalizando a vontade de ter mais liberdade sexual, ou então, apenas uma simples atração. Não há problemas em se imaginar transando com alguém. O hábito só deve ser repensado quando prejudica nossa concentração, e consequentemente, afeta a rotina.

Outro fator de confusão pode ser a falta de prazer. Existem pessoas que mantém uma vida sexual ativa, e mesmo assim, não sentem prazer na maioria, ou em todas as suas transas. Mas este fato isolado não indica compulsão sexual.

"A falta de prazer pode estar relacionada a uma insatisfação pessoal, que pode ter origem em decepções amorosas sofridas", exemplifica Carla. Outros fatores para a falta de libido podem ser baixa autoestima, traumas do passado e desconforto durante o sexo. Para entender mais sobre o que pode estar prejudicando sua vida sexual, veja nossa matéria sobre o assunto.

Famosos viciados em sexo

Terry Crews, ator

Ator Terry Crews quase acabou com o casamento devido ao vício em sexo - Foto: Shutterstock
Ator Terry Crews quase acabou com o casamento devido ao vício em sexo - Foto: Shutterstock

Famoso por seus personagens no seriado "Todo Mundo Odeia o Cris" e no filme "As Branquelas", Terry Crews revelou em suas redes sociais, em 2016, sofrer com hipersexualidade.

O ator informou que tem compulsão por pornografia e sexo desde os 12 anos. Em um relato, Terry afirmou que o vício quase acabou com seu casamento, pois chegou a ficar temporariamente separado de sua mulher devido a horas assistindo a filmes pornô.

Cleo Pires, atriz e cantora

A brasileira Cleo Pires relata que é viciada em sexo - Foto: Patrícia Devoraes/AgNews
A brasileira Cleo Pires relata que é viciada em sexo - Foto: Patrícia Devoraes/AgNews

A atriz brasileira Cleo Pires anunciou em entrevista que também sofre com vício em sexo. Assim como Terry Crews, ela disse ter compulsão por vídeos pornográficos e que também teve diversos companheiros e companheiras sexuais na vida.

Britney Spears, cantora

Britney Spears diz ter picos de euforia que a conduzem à ninfomania - Foto: Shutterstock
Britney Spears diz ter picos de euforia que a conduzem à ninfomania - Foto: Shutterstock

Rumores sobre a compulsão sexual de Britney Spears surgiram quando seu antigo guarda-costas publicou uma biografia da cantora, em que ressalta seu enorme apetite sexual e desejo por orgias.

A compulsão foi confirmada por seu ex-namorado, Kevin Federline, e pela própria artista pop. Em 2007, Britney confessou seu vício em sexo e atualmente luta contra o transtorno, que ela diz estar associado a distúrbios de euforia que a levam a comportamentos ninfomaníacos.

Robert Downey Jr., ator

Robert Downey Jr. nunca fez tratamento para seu vício em sexo - Foto: Shutterstock
Robert Downey Jr. nunca fez tratamento para seu vício em sexo - Foto: Shutterstock

Protagonista de "Homem de Ferro" e uma das celebridades mais bem pagas do mundo, Robert Downey Jr. teve seu vício em sexo divulgado por paparazzis na década de 90.

O ator via a compulsão sexual com bons olhos, pois dizia que o comportamento evitava com que se afogasse em álcool e drogas ilícitas.

Ele também já afirmou que nunca fez tratamento e se curou da hipersexualidade a partir do amor, ao se casar em 2005 com sua atual esposa, Susan.

Charlie Sheen, ator

Charlie Sheen teve mais de 5 mil amantes e contraiu HIV devido ao vício em sexo - Foto: Shutterstock
Charlie Sheen teve mais de 5 mil amantes e contraiu HIV devido ao vício em sexo - Foto: Shutterstock

Estrela da série "Two and a Half Men", Charlie Sheen assumiu publicamente seu vício em sexo, revelando que teve relações sexuais com mais de cinco mil mulheres.

A hipersexualidade do ator resultou em negligência com cuidados pessoais, fazendo com que ele se tornasse portador do vírus HIV.

Kanye West, cantor

Kanye West não consegue dormir sem antes praticar sexo quatro vezes - Foto: Shutterstock
Kanye West não consegue dormir sem antes praticar sexo quatro vezes - Foto: Shutterstock

O rapper Kanye West, marido da socialite Kim Kardashian, divulgou que necessita fazer sexo por, no mínimo, quatro vezes antes de dormir. Caso contrário, fica perturbado, inquieto e com insônia.

A situação o deixa insatisfeito, pois na maioria das vezes não sente prazer durante o ato repetitivo.

Kim Cattrall, atriz

A atriz Kim Cattrall alega que seus maridos não a satisfaziam o suficiente - Foto: Shutterstock
A atriz Kim Cattrall alega que seus maridos não a satisfaziam o suficiente - Foto: Shutterstock

Conhecida por interpretar a personagem Samantha Jones em "Sex and The City", Kim Cattrall chegou a romper casamentos devido à compulsão por sexo.

Diante dos divórcios, a atriz anunciou que seus parceiros a frustravam quanto ao desempenho sexual, pois seu desejo era incontrolável.

Michael Douglas, ator

Michael Douglas teve câncer de gargante e foi internado diversas vezes por vício em sexo - Foto: Shutterstock
Michael Douglas teve câncer de gargante e foi internado diversas vezes por vício em sexo - Foto: Shutterstock

Ganhador do Oscar de melhor ator pelo filme "Wall Street", Michael Douglas foi uma das primeiras figuras públicas a declarar o vício em sexo.

Em 2000, sua esposa pediu o divórcio devido às muitas infidelidades do ator e sua irresponsabilidade em fazer sexo nos intervalos das gravações de filmes.

Foi internado diversas vezes em clínicas especializadas em tratamento para hipersexualidade.

No ano de 2013, declarou que sofria de câncer de garganta devido à sua compulsão por sexo oral. Atualmente, o ator se disse curado do câncer e da dependência sexual.