PUBLICIDADE

Homens que adiam a paternidade têm mais chances de gerar filhos bipolares

A qualidade do esperma é crucial para definir a saúde do bebê

Enquanto as mulheres sofrem com o chamado relógio biológico na hora de engravidar, os homens durante muito tempo passaram ilesos por este tipo de preocupação. Porém, estudos afirmam que a qualidade do espermatozóide também cai com a chegada da idade.

O Instituto Karolinska, na Suécia, comprovou que homens mais velhos têm maiores chances de ter filhos com distúrbio bipolar, o responsável por essa alteração psicológica fica por conta de que os espermatozóides sofrem mutações no decorrer da vida. Mas, o urologista Ricardo Felts de La Roca faz um alerta: A produção inadequada ou a má qualidade dos espermatozóides pode ser decorrente de alterações hormonais, varicocele ou processos infecciosos ou inflamatórios, que também podem gerar filhos com problemas de saúde.

Neste caso, a pesquisa foi feita com mais de 80 mil pessoas, em que 13.428 são portadoras do mal e nasceram entre 1932 e 1991. Foi constatado que a incidência de desenvolvimento da doença aumentava nos casos em que os pais tinham 40 anos e se agravava ainda mais a partir dos 55. Enquanto a idade da mãe não era um fator decisivo, pais mais velhos representaram 37% a mais de chances de ter um filho com o distúrbio, em comparação aqueles que tinham cerca de 20 anos

Outro problema descoberto foi a maior incidência de defeitos de nascença. O que reforça os motivos pelos quais alguns bancos de esperma limitam a idade do doador.

Para o ginecologista Joji Ueno, não é apenas a idade um fator decisivo na saúde reprodutiva. O excesso de peso altera as taxas de dois hormônios importantes, relacionados às funções sexuais. Há redução no nível de testosterona e aumento de estradiol, o que compromete a produção de esperma, esclarece o profissional.

Todas essas teorias reforçam o quanto é fundamental planejar e se preparar para ter um bebê. Dessa forma, é possível evitar que o feto tenha um organismo debilitado e venha a crescer com problemas de saúde.