PUBLICIDADE

Consumo de frituras aumenta risco de câncer de próstata

Estudo mostra que óleo libera compostos cancerígenos quando esquentado

O consumo regular de alimentos fritos, como batata e frango, é um conhecido fator de risco à saúde cardiovascular e à manutenção do peso. Uma nova pesquisa desenvolvida por especialistas da Fred Hutchinson Cancer Research Center, nos Estados Unidos, descobriu que a ingestão desses alimentos também aumenta o risco de câncer de próstata. O estudo foi publicado na edição online da revista The Prostate no dia 28 de janeiro.

Análises anteriores exploraram a relação entre a doença e os métodos de cozimento em altas temperaturas, mas esta é a primeira vez em que se investiga a ligação entre câncer de próstata e alimentos fritos. Para isso, foram avaliados dados médicos de 1.549 homens diagnosticados com o problema e 1.492 homens saudáveis que funcionaram como grupo de controle. A idade dos participantes variava entre 35 e 74 anos. Todos foram questionados sobre os hábitos alimentares, inclusive em relação a alimentos fritos específicos.

Os resultados mostraram que a ingestão de fritura uma ou mais vezes por semana aumentava entre 30 e 37% o risco de desenvolver câncer de próstata. Além disso, nesses casos o câncer costumava ser dos tipos mais agressivos. De acordo com a equipe de pesquisadores, o óleo submetido a altas temperaturas gera compostos potencialmente cancerígenos. A quantidade de substâncias aumenta conforme o óleo é reutilizado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Use os alimentos para prevenir câncer de próstata

"Há alimentos que previnem o câncer de próstata e outros que podem influenciar o aparecimento da doença, em pacientes com pré-disposição a ela", afirma o nutrólogo Celso Cukier, do Hospital São Luiz. Veja quais são os itens indispensáveis na mesa do homem saudável:

Leite

Leite e derivados - Foto Getty Images
Leite e derivados - Foto Getty Images

O leite é uma ótima fonte de vitamina D e cálcio, substâncias que ajudam no processo de apoptose (autodestruição de células que não estão funcionando bem, característica das células cancerígenas). Além disso, essas sustâncias melhoram o funcionamento do sistema imunológico, ajudando a combater doenças. "Consumir até 500 ml de leite por dia realmente ajuda a afastar o câncer de próstata", diz o nutrólogo Roberto Navarro.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mas, se consumidos em excesso, o leite e seus derivados podem ter o efeito contrário, aumentando as chances desse tipo de câncer. De acordo com um estudo feito pela Universidade de Harvard, consumir mais do que meio litro de leite por dia pode aumentar em até 20% as chances de câncer de mama e de próstata. "O cálcio em excesso diminui a absorção de vitamina D no organismo, essencial no processo de proteção contra câncer de próstata", alerta o especialista.

Alho e cebola

Alho e cebola - Foto Getty Images
Alho e cebola - Foto Getty Images

O consumo de alho e cebola pode diminuir em até 30% as chances de câncer de próstata, de acordo com estudo publicado pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos (NCI). Compostos sulfurosos, nutrientes antioxidantes que impedem a ação dos radicais livres, assinam a boa notícia. "Meia cebola ou dois dentes de alho por dia já diminuem as chances desse tipo de câncer", diz o nutrólogo.

Tomate

Tomate- Foto Getty Images
Tomate- Foto Getty Images

Talvez o mais famoso amigo da próstata, o tomate é rico em licopeno, substância de alto poder antioxidante. Essa proteção pode diminuir em até 33% as chances de desenvolvimento de tumores na próstata, segundo estudo feito pela Universidade de Harvard. Mas atenção: o organismo só consegue absorver o licopeno de alimentos cozidos - o estudo americano mostrou que homens com mais de 50 anos, habituados a consumir molho de tomate ou catchup mais de 10 vezes por semana, podem diminuir em até 50% as chances da doença.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Soja

Soja - Foto Getty Images
Soja - Foto Getty Images

Conhecida por ser um alimento bastante versátil, a soja também desempenha um papel importante na hora de prevenir câncer de próstata. "A revisão de vários estudos indica que a genisteína, um tipo de isoflavona, aumenta a capacidade de autodestruição (apoptose) das células cancerígenas", diz o nutrólogo Roberto Navarro.

Oleaginosas

Oleaginosas - Foto Getty images
Oleaginosas - Foto Getty images

As oleaginosas, como nozes, amêndoas, avelã e amendoim, são ricas em selênio, mineral com ação antioxidante e que ajuda na renovação das células. "Duas nozes por dia, por exemplo, já suprem as quantidades diárias recomentadas de selênio", diz Roberto Navarro.Além disso, as oleaginosas contêm vitamina E, nutriente que melhora o funcionamento do sistema imunológico.

Vegetais verde-escuros

Brócolis - Foto Getty Images
Brócolis - Foto Getty Images

Vegetais como brócolis couve flor e espinafre diminuem os casos de câncer de próstata. Isso acontece porque esses alimentos são ricos em ácido fólico, nutriente que combate o efeito dos radicais livres nas células. O estudo, publicado na revista especializada Cancer Prevention Research, dos Estados Unidos, recomenda o consumo de pelo menos um vegetal verde por dia para garantir o efeito preventivo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Chá-verde

Chá verde - Foto Getty Images
Chá verde - Foto Getty Images

Beber cinco xícaras de chá verde diariamente pode ajudar a diminuir em 50% o risco de desenvolvimento do câncer de próstata, segundo estudo do Centro Nacional Epidemiológico de Prevenção contra o Câncer, no Japão. O estudo avaliou cerca de 50 mil pessoas, com idades entre 40 e 69 anos para descobrir que a catequina, substância encontrada em abundância na bebida, além de inibir o crescimento das células cancerígenas, também pode reduzir a quantidade de testosterona presente no corpo ? hormônio relacionado ao desenvolvimento do tumor.