PUBLICIDADE

Crianças vibram com o prato que transborda energia

A presença de carboidratos se destaca na fase de crescimento acelerado

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

A partir dos dois anos de idade, a criança passa por diversas e constantes transformações. E a alimentação exerce grande influência nesse processo, tendo papel fundamental no desenvolvimento dos músculos, no crescimento dos ossos e na manutenção do peso.

As mudanças mais notáveis acontecem até a puberdade, que costuma chegar por volta dos 12 anos, nos meninos, e depois dos 10 nas meninas. Até atingir essa idade, as crianças de ambos os sexos ganham, em média, três quilos por ano. Já a estatura aumenta de seis a oito centímetros, anualmente. O ritmo de crescimento desacelera conforme a criança se aproxima da puberdade, fase em que o crescimento retoma a velocidade.

Invista na aliemntação saudável
Invista na aliemntação saudável

A quantidade de energia necessária para a criançada crescer é determinada de acordo com a idade, sexo, peso, altura e nível de atividade física. Um menino de quatro anos, com 15 quilos e medindo 1,02 metros, por exemplo, precisa de 1.700 calorias diárias, aproximadamente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para obter toda essa energia, os carboidratos (encontrados nos pães, cereais, frutas e legumes) devem estar presentes na maior parte da alimentação, representando de 50 a 60% do cardápio e divididos entre todas as refeições do dia. Ainda tomando a dieta de 1.700 calorias diárias como exemplo, os carboidratos correspondem a 850 desse total, o equivalente a 212,5 gramas.

As proteínas são outras participantes de peso no prato das crianças. Encontradas nas carnes, leguminosas (feijão, lentilha, soja), leite e derivados, elas são as responsáveis pelo fornecimento de aminoácidos essenciais, colaboradores na formação e no desenvolvimento do organismo.

Crianças de um a três anos precisam ingerir, pelo menos, 13 gramas de proteína, por dia. Já aquelas que estão entre os quatro e oito anos de idade necessitam de 19 gramas diárias, enquanto a faixa etária de nove a 13 anos exige 34 gramas diariamente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No time dos alimentos que devem ser evitados por causarem diversos malefícios à saúde estão os gordurosos, que podem levar ao aumento das taxas de colesterol e ao excesso de peso, por exemplo. No entanto, alguns tipos de gordura desempenham atividades importantes no organismo.

As vitaminas A, D, E e K, por exemplo, só são absorvidas quando a gordura está presente. Por isso, elas devem corresponder de 25 a 30% do valor calórico total da dieta. Boas opções para atingir essa meta são azeite, óleo e creme vegetal, carnes, leites e derivados.

Além dos macronutrientes, cálcio, ferro, zinco e vitamina A, representantes do time dos micronutrientes, também merecem destaque no cardápio das crianças. O ferro está envolvido em tarefas como transporte de oxigênio para todas as células, transporte de elétrons para a produção de energia e síntese de DNA.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

É fácil encontrar o mineral nas carnes vermelhas e verduras verde-escuras. Os valores recomendados para as crianças variam de 7 a 10 miligramas por dia. Um bife médio de carne vermelha contém 2,31 mg.

Eles ajudam a mante a forma e a saúde em ordem
Eles ajudam a mante a forma e a saúde em ordem

Por ser um componente dos pigmentos visuais, o papel que a vitamina A desempenha sobre a nossa visão ocupa a primeira posição na lista de funções da vitamina. Sua absorção pode ser prejudicada em situações comumente vivenciadas na infância, como infecções intestinais e respiratórias, e sarampo. Assim, alimentos fortificados, frutas e vegetais de cor alaranjada são muito bem-vindos no prato dos pequenos, já que eles são boas fontes de pró-vitamina A. O consumo ideal varia de acordo com a idade da criança, mas fica entre 300 e 600 microgramas por dia. Meia xícara de cenoura picada apresenta 385 mcg.

Micronutrientes para o crescimento

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já o zinco é fundamental para o crescimento e desenvolvimento da criançada, além de participar do fortalecimento do sistema imunológico. Suas principais fontes alimentares são as carnes e a recomendação diária gira em torno de 3 a 8 miligramas. Um bife médio de carne vermelha oferece 5,8 mg.

O cálcio, nutriente envolvido na formação óssea, é bem representado pelo leite, que continua sendo fundamental no menu infantil. A ingestão adequada durante a fase de crescimento está associada à prevenção de fraturas ósseas em idades mais avançadas. A recomendação é que os pequenos tomem meio litro de leite, diariamente. A quantidade pode ser completada com derivados do leite, como iogurte e queijo.

Vale lembrar que o apetite das crianças é bem variável. Portanto, não é preciso forçar a ingestão, caso eles relutem. A insistência de alguns pais pode resultar em problemas com a balança ou aversão por determinados alimentos. Mas estabelecer uma rotina, determinando horários certos para as refeições, ajuda a criança a criar bons hábitos alimentares e evita que ela petisque salgadinhos e balas entre os pratos principais.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

As guloseimas não precisam ser excluídas do cardápio, porém, controlar a ingestão é necessário. Em excesso, as delícias podem levar a não aceitação de alimentos importantes para o desenvolvimento, como legumes, frutas e verduras. Sem contar que elas estão relacionadas ao aumento de peso, ao desenvolvimento da resistência à insulina (pré-diabetes) e alterações sanguíneas de colesterol e diabetes.