PUBLICIDADE

Seja positivo e supere o estresse pós-traumático

Para ganhar qualidade de vida é importante enxergar novas possibilidades

Evitar o contato com situações difíceis ou catastróficas é quase impossível. Eventualmente, a vida apresenta momentos conflitantes que levam a danos materiais, físicos ou financeiros. A crise econômica, os combates na Faixa de Gaza e as enchentes em Santa Catarina são exemplos de acontecimentos que podem afetar diretamente a qualidade de vida das pessoas envolvidas e gerar o estresse pós-traumático.

"Isso ocorre quando o indivíduo enfrenta momentos de natureza excepcionalmente ameaçadora ou catastrófica, como demissões, acidentes, mortes, incêndios, catástrofes, desastres, assaltos, agressões ou qualquer outra situação forte que desencadeie intensa reação emocional e psicológica", explica Sâmia Simurro, psicóloga e vice-presidente de projetos da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV).

Para Sâmia, o estresse pós-traumático pode ser melhor superado através do adequado acompanhamento psicológico onde se incentiva a pessoa a "enxergar" novas possibilidades em meio à situação indesejável vivenciada. "Por meio da estabilização do humor, levantamento dos recursos individuais de enfrentamento disponíveis e da reconstrução da situação com foco nas novas alternativas de resolução ou enfrentamento do problema, é possível minimizar o impacto psicológico do incidente ao qual a pessoa foi exposta", comenta.

Características

O estresse pós-traumático reduz a habilidade pessoal de encontrar alternativas de resolução em meio a situações difíceis, tanto no momento em que ocorrem quanto no período posterior. Fatores psicológicos individuais, depressão, ansiedade, entre outros, podem facilitar o aparecimento ou agravamento do problema.

As formas de manifestação do estresse pós-traumático podem ser físicas (suor excessivo, tontura, aumento de pressão, tontura ou aceleração dos batimentos cardíacos), cognitivas (confusão mental, dificuldade de tomar decisões ou desorientação), emocionais (estado de choque emocional, raiva excessiva, medo, desesperança ou desamparo) ou ainda comportamentais (inapetência, diminuição nos auto-cuidados ou isolamento social).

Outros comportamentos que podem identificar a ocorrência de estresse pós-traumático são: visualizações constantes e recorrentes da situação do trauma, sonhos repetidos, dificuldades de memória, lembranças persistentes, automedicação, abuso de álcool, hostilidade de difícil controle, apatia ou, em alguns casos, ataques de pânico ou fobias. "O estresse pós - traumático tem forte impacto na qualidade de vida do indivíduo, pois é causado por eventos que afetam profundamente o cotidiano da pessoa, desestabilizando todas as áreas de sua vida", conclui Sâmia Simurro.