PUBLICIDADE

Tique nervoso pode ser distonia

Procurar ajuda médica é importante para diagnosticar corretamente

Contrações musculares involuntárias podem ser distonia. Os sintomas são espasmos no pescoço, braços, tremores das mãos e piscadas repetidas dos olhos. A doença é muito confundida com tique nervoso, mas a principal diferença é que a pessoa tem controle do movimento no tique, mas na distonia não.

Distonia é uma doença neurológica que ainda não se sabe a causa. Acredita-se que seja resultado de uma disfunção de uma parte no cérebro. Por ser confundida com o tique nervoso, ela dificilmente é diagnosticada no início, pois as pessoas esperam que o quadro se agrave para procurar ajuda. "É necessário conscientizar a população sobre a existência da doença e dos tratamentos.", alerta o Dr. Delson Silva, neurologista coordenador do Centro de Referência em Transtornos do Movimento do Núcleo de Neurociências do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás.

É preciso ficar alerta. Atividades normais como andar e dirigir podem ser afetadas no portador de distonia, tornando-se, em alguns casos, dependente de outras pessoas para realizar essas ações. A doença afeta também a auto-estima, podendo levar à depressão.

Tratamento
A toxina botulínica tipo A é um dos medicamentos mais eficazes quando há a distonia. O tratamento é feito através de injeções nos músculos de forma que inibe a liberação do neurotransmissor (acetilcolina) responsável por enviar a mensagem do nervo ao músculo. O tratamento pode ser feito a cada três ou quatro meses, de acordo com a necessidade.