PUBLICIDADE

Sarcopenia: o que é, como prevenir e tratamento para idosos

A diminuição de massa magra unida à perda de massa muscular é comum entre idosos e pode ser prevenida com hábitos saudáveis

Sarcopenia (CID-10 M62. 5) é uma síndrome caracterizada por perda progressiva e generalizada de massa e força muscular, além da diminuição do desempenho físico. A doença acomete principalmente os idosos, que já sofrem perda muscular durante o envelhecimento por conta de mudanças na alimentação, hábitos mais sedentários, alterações hormonais e doenças crônicas associadas.

Pacientes com problemas de mobilidade por sequelas neurológicas também tem alta prevalência de sarcopenia. De acordo com dados oficiais, a doença afeta atualmente mais de 50 milhões de pessoas, que sofrem com redução de mais de 25% da massa muscular.

Saiba mais: Sete exercícios ideais para quem passou dos 60 anos

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Esta síndrome pode trazer importantes prejuízos ao paciente, como incapacidade para a realização de atividades básicas e instrumentais da vida diária, além do aumento de risco de quedas e fraturas, perda da independência pessoal e aumento do risco de morte.

Sarcopenia ou caquexia?

Tanto a sarcopenia quanto a caquexia levam à perda de massa muscular, mas a sarcopenia é um processo mais lento, que pode levar de meses a anos, e está mais associado ao sedentarismo e ao envelhecimento

A caquexia, por outro lado, é um processo onde além da perda de massa muscular ocorre a perda de gordura e geralmente está associada a alguma doença de base como câncer. É um processo mais agudo e acelerado, onde a perda pode acontecer em dias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Os sintomas da sarcopenia podem demorar a aparecer e serem inespecíficos, envolvendo dores articulares e musculares, que geralmente passam despercebidas no começo e vão afetando tarefas do cotidiano. De acordo com a nutróloga Paula Vasconcelos, sinais mais específicos incluem a dificuldade em realizar atividades físicas, como:

Quedas frequentes também podem ocorrem, uma vez que a perda muscular já esteja em estágio avançado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico

Na prática clínica, o diagnóstico da perda de massa muscular pode ser feito por bioimpedância, densitometria e antropometria. Já a força muscular é avaliada pela força de preensão. Para avaliar o desempenho físico, utiliza-se o Short Physical Performance Battery, um instrumento que avalia equilíbrio, velocidade de marcha, força e resistência dos membros inferiores.

Saiba mais: Conheça os exames de avaliação médica pré-treino

São estabelecidas também pontuações para avaliar velocidade da marcha e o Timed Up and Go test. Nesse teste, é avaliado o tempo em que o paciente leva para levantar-se de uma cadeira, andar 3 metros, retornar e sentar, avaliando também o equilíbrio dinâmico do paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento

O tratamento para sarcopenia inclui exercícios de resistência, conforme as condições físicas de cada indivíduo, e dieta orientada com suplementação. No entanto, os cuidados são feitos a longo prazo e exigem mudanças permanentes de estilo de vida.

Em alguns casos distintos, como pacientes que perderam massa muscular durante um processo agudo, após uma cirurgia, por exemplo, o tratamento termina com a recuperação do volume muscular e da força muscular.

"A suplementação e administração de alguns medicamentos, como hormônios anabolizantes e reposição de vitamina D, podem tratar e prevenir o quadro de sarcopenia. Porém, devem ser ponderados e individualizados pelo médico assistente, em decorrência do risco de efeitos colaterais dessas medicações", explica Fabíola Crescentini, geriatra do Home Doctor.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Suplementos para sarcopenia

Alguns dos tipos de suplementos mais comum tomados no combate a sarcopenia são:

Como prevenir sarcopenia

A sarcopenia pode ser prevenida com ações simples, como a prática de exercícios físicos regulares (pelo menos 4 vezes por semana e principalmente os de resistência, incluindo musculação), e uma alimentação equilibrada e rica em proteína (como feijão, grão de bico, carnes e tofu).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Saiba mais: Professor indica treino caseiro para mulheres acima de 50

Como a perda de massa magra faz parte do processo de envelhecimento, a suplementação assistida por um profissional capacitado também pode agir como método preventivo da condição, suprindo necessidades adicionais de reposição dessas substâncias.

Exercícios físicos e a longevidade

Obesidade sarcopênica

Existe também a obesidade sarcopênica, que é uma condição clínica que associa a sarcopenia com a obesidade. Ela se caracteriza por um alto percentual de gordura (massa gorda) em relação à massa magra. Ou seja, ela ocorre quando o indivíduo tem um Índice da Massa Corpórea (IMC) aumentado, com pouca massa muscular.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Neste caso, além da redução da massa magra, há ainda uma alteração na composição da musculatura, havendo infiltração de gordura dentro do tecido muscular e diminuindo também a qualidade e desempenho dos músculos.

Alguns mecanismos podem explicar a relação da obesidade com a sarcopenia, como causa uma da outra, consequência uma da outra ou como situações concorrentes. Por exemplo, em pacientes com idade avançada, há alterações hormonais, especialmente nos níveis dos hormônios sexuais testosterona (homem) e estrogênio (mulher).

Saiba mais: Disfunções hormonais também afetam saúde sexual feminina

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo a geriatra Roberta França, estes hormônios atuam na distribuição de massa gorda e na regeneração muscular. Portanto, o déficit dos mesmos favorece a perda de massa muscular e o aumento de massa gorda.

"Isso ocorre especialmente nas localizações truncais e abdominais. Além disso, a perda de massa óssea é um fator influenciado tanto pela deficiência hormonal quanto pela sarcopenia", acrescenta a especialista.

Referências

Fabíola Crescentini, médica especializado em geriatria da Home Doctor

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Paula Vasconcelos, médica especializada em nutrologia

Roberta França, médica pós-graduada em Geriatria e Gerontologia pela Universidade Estácio de Sá e em Psiquiatria. É membro da Comissão de Direito da Pessoa Idosa (OAB/RJ)