PUBLICIDADE

Stiff: exercício fortalece áreas posteriores do corpo

Lombar, glúteos e músculos posteriores da coxa são as áreas mais ativadas durante o exercício

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

O que é

O stiff é um exercício que trabalha a parte posterior do corpo, sobretudo os glúteos, músculos posteriores das pernas e lombar. Apesar de ser frequentemente relacionada com a elevação de barras, essa atividade também pode ser feita com o próprio peso corporal, halter ou kettlebell.

Foto: Getty Images/mihailomilovanovic
Foto: Getty Images/mihailomilovanovic

Para que serve

A prática do exercício promove fortalecimento e hipertrofia muscular (crescimento dos músculos), além de exigir o aumento da consciência corporal para que seja feito de forma correta. Entre as áreas trabalhadas durante a prática, estão:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Antes de incluir o stiff no treino, é importante que alguns pontos sejam observados. De acordo com o educador físico Bruno Sapo, qualquer pessoa pode fazer o stiff, contanto que haja uma adaptação de peso e dificuldade de acordo com as características de cada praticante.

"Uma pessoa iniciante e inexperiente pode começar realizando sem nenhuma carga externa com a finalidade de aprender o movimento e melhorar a consciência corporal. Com o tempo, o peso pode ser adicionado", fala.

Como fazer

A educadora física e bailarina Anninha Martins alerta que é aconselhável a quem for realizar o stiff ter a musculatura do core também fortalecida para que a atividade seja feita com segurança, evitando o risco de lesões.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Comece o exercício em pé, com as pernas afastadas na largura do quadril e a barra no chão. Então, flexione levemente os joelhos, sem dobrá-los em demasia, jogando o quadril para trás e mantendo a coluna ereta, sem curvá-la. Pegue a barra com ambas as mãos, sempre com atenção em preservar a coluna e mantenha o quadril firme, e suba, alinhando o corpo novamente na posição ereta. A barra deve sempre estar próxima ao corpo, correndo logo à frente dele no movimento de subida. Ao descer, jogue novamente o quadril para trás, flexionando levemente o joelho. Durante o exercício, a barra não deve tocar o chão.

Alguns detalhes da execução devem ser feitos com cuidado, como ensina Bruno Sapo:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"O peso, repetições e intervalos, irão depender do momento da periodização e do objetivo de cada um. A quantidade semanal também dependerá da disponibilidade de cada pessoa. Alguém que treina duas vezes por semana, por exemplo, terá uma sessão de treinos com maior volume de repetições do que uma pessoa que treina de cinco a seis", explica o educador físico.

Benefícios

Quando realizado com a orientação de profissionais, a prática do stiff pode trazer uma série de benefícios:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Cuidados

De acordo com Anninha Martins, é fundamental que a pessoa tenha coordenação motora e consciência corporal para realizar o stiff da maneira correta. O trabalho de fortalecimento da musculatura do core é fundamental para dar estabilidade durante o exercício.

"O stiff não é um exercício indicado para iniciantes, pessoas sedentárias e/ou com problemas de hérnia de disco, uma vez que ele pode ocasionar uma maior sobrecarga nos discos intervertebrais devido à forte flexão da coluna", alerta a educadora física.

Contraindicações

Uma das maiores contraindicações para a prática do stiff são complicações na coluna. Por ser uma atividade que exige o levantamento de peso e um posicionamento corporal adequado, pessoas com condições que afetam a região posterior do corpo devem evitar esse exercício.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

"O praticante com dor na lombar, por exemplo, pode agravar a lesão no local e, como forma de autoproteção, fazer o exercício da forma errada. É importante ressaltar que exercícios de musculação são essenciais na prevenção das dores na coluna, mas realizá-los com dor não é o melhor caminho", explica Bruno Sapo.

Fontes

Bruno Sapo - educador físico, personal trainer e instrutor de CrossFit

Anninha Martins - profissional de educação física, bailarina e criadora do método Ballet Blend

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)